Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Padre condenado a quatro anos e meio de pena suspensa por desvio de esmolas e venda de arte sacra

António Teixeira estava acusado de se apropriar de mais de 400 mil euros em esmolas.
Bernardo Esteves e João Saramago 6 de Maio de 2021 às 15:21
Padre António Teixeira
O padre António Teixeira
Padre António Teixeira é julgado
Padre António Teixeira
O padre António Teixeira
Padre António Teixeira é julgado
Padre António Teixeira
O padre António Teixeira
Padre António Teixeira é julgado

O Padre António Teixeira foi esta quinta-feira condenado a quatro anos e meio de prisão com pena suspensa pelos crimes de abuso de confiança agravado e furto qualificado de peças de arte sacra da paróquia de Santo Condestável, em Lisboa. O tribunal Criminal de Lisboa deu como provado que o padre se apropriou de 110 mil euros do dinheiro das esmolas dos fiéis, condenando-o por abuso de confiança agravado. Foi também considerado culpado de furto qualificado de arte sacra no valor de 131 mil euros.

A sentença obriga ainda o padre a depositar todos os meses 750 euros de indemnização à ordem da paróquia de Santo Condestável, até completar a quantia de 110 mil euros. Terá também de indemnizar os antiquários que compraram a arte sacra em mais de 48 mil euros.

O padre estava também acusado de se apropriar de dinheiro da paróquia de Carcavelos, mas foi absolvido dos crimes de branqueamento de capitais e abuso de confiança agravada, porque o tribunal não provou de forma categórica que se apoderou de verbas.

Não houve concordância entre os três juízes e por isso Helena Leitão deixou a presidência do coletivo, que foi assim assumida pelo juiz mais velho, Paulo Registo.

Lisboa Santo Condestável Padre António Teixeira crime lei e justiça religião crime assalto
Ver comentários