Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Polícia de intervenção obrigada a usar força contra manifestantes negacionistas em Lisboa

Protestos ocorrem à porta do Conselho Superior de Magistratura onde o juiz negacionista Rui Fonseca e Castro foi ouvido.
Lusa 16 de Abril de 2021 às 18:46
A carregar o vídeo ...
Polícia de intervenção obrigada a usar força contra manifestantes negacionistas em Lisboa
As cerca de cem pessoas que se manifestaram junto ao Conselho Superior de Magistratura dispersaram pouco depois das 17:00, quando o juiz negacionista da pandemia de Covid-19 saiu do local.

Os manifestantes concentraram-se ao início da tarde junto do Conselho Superior de Magistratura, onde o juiz Rui Fonseca e Castro ia ser ouvido pelo instrutor do seu processo disciplinar. O juiz está suspenso preventivamente por incentivar publicamente ao incumprimento das regras para controlar a evolução da pandemia de covid-19.

Rui Fonseca e Castro foi recebido à chegada com palmas e abraços e com a frase repetida durante vários minutos "Viva o Rui".

Os manifestantes mantiveram-se no local até cerca das 17:00, quando o juiz saiu do Tribunal. Durante a manifestação de apoio foram detidas pela PSP várias pessoas.

O Comando Metropolitano de Lisboa da PSP remeteu mais informações para um comunicado a ser divulgado.

Os manifestantes mantiveram-se nos arredores do Tribunal e voltaram a juntar-se quando o juiz saiu e quando estava no local um grande aparato policial, com mais de uma dúzia de viaturas da PSP, metade delas carrinhas da unidade especial de polícia.

A polícia foi obrigada a utilizar a força física para travar a multidão.

Todos os manifestantes, que trocaram cumprimentos, abraços e beijos, estavam sem máscara. A Lusa apenas viu uma mulher, enrolada numa bandeira de Portugal, com uma máscara, mas nos olhos.

A manifestação de apoio ao juiz foi convocada pela associação Habeas Corpus, fundada pelo próprio Rui Fonseca e Castro.

Lisboa política manifestação autoridades
Ver comentários