Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Polícia Judiciária e Ministério Público ‘calaram’ assalto a Tancos

Denúncia sobre a preparação de um assalto "não foi partilhada" com as outras entidades que integram a Unidade de Coordenação Antiterrorismo.
Isabel Jordão 6 de Julho de 2021 às 09:36
Helena Fazenda foi a Santarém
Helena Fazenda foi a Santarém FOTO: RODRIGO ANTUNES/lusa
A secretária geral do Serviço de Segurança Interna, Helena Fazenda, disse esta segunda-feira, em Santarém, no julgamento do caso Tancos, que a denúncia sobre a preparação de um assalto a um quartel militar na região Centro “não foi partilhada” pelo Ministério Público nem pela Polícia Judiciária - que tinham o inquérito - com as outras entidades que integram a Unidade de Coordenação Antiterrorismo.

“Nenhuma informação foi partilhada, claramente que havia essa obrigação”, garantiu, adiantando que soube do assalto aos paióis nacionais de Tancos pelas notícias, que citavam um comunicado do Chefe do Estado Maior do Exército.

Na sessão de segunda-feira, foram ouvidas as declarações da testemunha Paulo Lemos, conhecido por ‘Fechaduras’, no primeiro interrogatório, por o seu paradeiro continuar desconhecido. Contou que João Paulino o convidou para o assalto e lhe ofereceu 50 mil euros para abrir os paióis sem danificar as fechaduras. Em vez de aceitar, contou tudo a uma procuradora do Ministério Público no Porto.

Ver comentários