Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

PJ iliba polícias de morte de mulher

Investigação conclui que não há provas contra 6 agentes.
Miguel Curado 5 de Abril de 2019 às 01:30
A carregar o vídeo ...
Investigação conclui que não há provas contra 6 agentes.
A Polícia Judiciária (PJ) não encontrou provas para acusar de homicídio os seis agentes de uma Equipa de Intervenção Rápida (EIR) da PSP de Loures, que na madrugada de 15 de novembro de 2017 dispararam contra um carro em fuga, onde seguia Ivanice Costa, de 36 anos, de nacionalidade brasileira e que viria a morrer.

A PJ já entregou o relatório desta investigação ao DIAP de Lisboa, sugerindo o seu arquivamento.

O CM contactou a Direção da PSP, que afirmou não ter sido ainda notificada oficialmente da decisão.

Fonte ligada à defesa dos seis polícias, que se mantiveram ao serviço desde esse dia, em funções não operacionais, referiu ao CM que os agentes também não tinham sido ainda notificados.

Esta semana, recorde-se, terminaram os depoimentos que todos os agentes prestaram no Comando de Lisboa da PSP, no âmbito dos processos disciplinares.

A investigação começou no dia em que um tiroteio da PSP sobre o carro em que seguiam Ivanice Costa e o namorado, terminou com a morte da mulher.

Os agentes da EIR de Loures terão confundido a viatura onde seguia o casal, com a usada por um gang de ladrões de ATM, que estava a ser perseguida pela PSP desde Almada.

Os seis agentes foram constituídos arguidos e um sétimo polícia, atropelado pela viatura atingida, foi arrolado como testemunha.

Em outubro do ano passado, a Inspeção-Geral da Administração Interna já tinha, determinado que a PSP agiu em legítima defesa, quando o condutor investiu contra os agentes.
Ver comentários