Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Polícias que usaram farda em manifestação vão ser alvo de processo disciplinar

Protesto do Movimento Zero decorreu em junho. PSP são acusados de uso indevido e incorreto dos uniformes.
Correio da Manhã e Lusa 30 de Julho de 2021 às 20:14
Manifestação das forças de segurança convocada pelo Movimento Zero, em Lisboa, 21 de junho de 2021
Manifestação das forças de segurança convocada pelo Movimento Zero, em Lisboa, 21 de junho de 2021 FOTO: Lusa
A PSP abriu processos disciplinares, por uso indevido de farda, a agentes que participaram em 21 de junho, em Lisboa, numa manifestação organizada pelo Movimento Zero, confirmou esta sexta-feira à Lusa o porta-voz, Nuno Carocha.

O porta-voz da PSP disse, sem avançar o número de agentes visados, que "processos disciplinares estão a ser instruídos" por "possível uso indevido de uniforme".

Nuno Carocha explicou que, de acordo com o regulamento da PSP, o fardamento policial só pode ser usado pelo agente em serviço.

A notícia foi hoje inicialmente avançada pela revista Visão.

Algumas centenas de elementos da PSP e da GNR pertencentes ao Movimento Zero protestaram em 21 de junho, durante cerca de 11 horas, numa concentração que começou em frente à Assembleia da República e que depois se espalhou pelas principais vias de Lisboa num desfile que durou cerca de duas horas e meia e bloqueou o trânsito, não estando este percurso autorizado.

Depois de se manifestarem pelas ruas de Lisboa e de uma passagem pelo Ministério da Administração Interna, os elementos das forças de segurança voltaram para junto da Assembleia da República, onde o policiamento foi reforçado durante a tarde com elementos da Unidade Especial de Polícia, após alguns manifestantes terem vestido o polo de serviço da PSP e da GNR, bem como colocarem o boné da Guarda Nacional República, o que é considerado uso indevido da farda.

O Ministério Público abriu um inquérito à manifestação e a Inspeção-Geral da Administração Interna anunciou um processo administrativo.

PSP Movimento Zero Visão crime lei e justiça polícia inquérito
Ver comentários