Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Prisão preventiva para sete membros do gang rapper 'AKJ' suspeitos de mais de 50 roubos em Cascais

Treze saíram em liberdade com apresentações semanais e bissemanais em esquadras da polícia.
Sérgio A. Vitorino 28 de Maio de 2021 às 18:04
Imagens de vídeos publicados nas redes sociais em que membros do ‘AKJ’ cantam músicas, em estilo rap, relatando os seus crimes
Imagens de vídeos publicados nas redes sociais em que membros do ‘AKJ’ cantam músicas, em estilo rap, relatando os seus crimes FOTO: Direitos Reservados

Sete elementos do gang ‘AKJ’, com base no bairro Cabeço do Mouro, em São Domingos de Rana, Cascais, ficaram esta sexta-feira em prisão preventiva. Outros treze saíram em liberdade com apresentações semanais e bissemanais em esquadras da polícia.

Os vinte foram detidos, terça-feira, na operação T3 da PJ de Lisboa, por suspeita de mais de 50 roubos violentos. O gang ‘AKJ’ usa a música rap para, através das letras e vídeos na internet, divulgar e ‘gabar-se’ dos roubos e agressões, através dos quais subiam na hierarquia do gang de rappers.

Desde 2019 que usavam facas e, nos últimos tempos, armas de fogos. Foi para travar a escalada de violência que a PJ de Lisboa avançou e deteve os suspeitos, entre os 17 e os 22 anos.
As vítimas eram de ocasião: desde alunos de escolas, a pessoas que estavam sozinhas em paragens de autocarro no caminho ou de regresso do emprego. Também sequestraram vítimas obrigando-as a dirigirem-se a caixas multibanco. Atacavam em grupo e levavam telemóveis, dinheiro, ouro, motas e bicicletas.

Nos vídeos divulgados nas redes sociais, em que se gabavam dos crimes, ainda ameaçavam as vítimas e desafiavam os gangs rivais para rixas "nas chamadas guerras por território".
Em 23 buscas - com 180 elementos da PJ - foram apreendidas motas, bicicletas e armas como catanas.

São Domingos de Rana AKJ Cascais Cabeço do Mouro Lisboa crime lei e justiça PJ polícia leis
Ver comentários