Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

‘Ray-ban’ condenado a 11 anos

Carlos Teixeira ganhou o título de ‘Rei da Montanha’ na Volta a Portugal de 1996. Mas as dívidas acumuladas levaram a estrela do Boavista a assaltar 20 bancos entre Abril de 2011 e Janeiro deste ano, altura em que foi preso pela Polícia Judiciária – que lhe deu a alcunha de ‘Ray-ban’, por actuar sempre de óculos escuros daquela marca.
1 de Dezembro de 2012 às 01:00
Carlos Teixeira, de 42 anos, destacou-se ao serviço do Boavista
Carlos Teixeira, de 42 anos, destacou-se ao serviço do Boavista FOTO: D.R.

Ontem, foi condenado a 11 anos de cadeia efectiva no Campus da Justiça, em Lisboa. ‘Teixeirinha’ está ainda obrigado a pagar 97 237 euros ao BPN e 50 580 ao BPI, por danos e prejuízos causados em agências dos dois bancos. 

A pena, em cúmulo jurídico – a soma de todos os crimes daria 48 anos de prisão –, teve em conta o facto de o arguido "não ter agido com violência física", "ter confessado os crimes" e mostrado "arrependimento", disse o juiz Bruno Gorjão. O facto de ter usado uma réplica de arma nos assaltos também serviu de atenuante.

A defesa de Carlos Teixeira garantiu logo à saída da audiência que irá recorrer da sentença. "O meu cliente agiu sob coacção. Foi obrigado por agiotas a cometer estes crimes. Sei quem são estas pessoas, que também deviam estar a ser julgadas, mas não vou dizer quem são. Sinto--me injustiçada, pois o meu cliente devia ter saído com pena suspensa ou absolvido", disse Sandra Dias.

A advogada justificou ainda os crimes com o "estado de necessidade" do seu cliente, negando que o arguido tenha dívidas do jogo. Carlos Teixeira está detido no Estabelecimento Prisional de Lisboa.

Ray-ban Carlos Teixeira condenado dívidas
Ver comentários