Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Rede internacional de contrabando de tabaco ia sacar 9,7 milhões de euros ao Estado

Onze arguidos julgados em Faro por contrabando e associação criminosa.
Ana Palma 21 de Fevereiro de 2021 às 09:26
A carregar o vídeo ...
Rede internacional de contrabando de tabaco ia sacar 9,7 milhões de euros ao Estado
Uma rede internacional de contrabando de tabaco está a ser julgada no Tribunal de Faro. São 11 os arguidos, entre os 32 e os 66 anos, que respondem pelos crimes de contrabando qualificado, associação criminosa tributária, introdução fraudulenta no consumo, contrafação, imitação ou uso ilegal de marca.

A rede dedicava-se à produção e comercialização fraudulenta de tabaco. A fraude fiscal gerada pelo tabaco que foi apreendido - suficiente para 46 milhões de cigarros - ascenderia a um valor de cerca de 9 milhões e 700 mil euros.

O grupo, composto por dois polacos, um russo, dois moldavos, dois ucranianos, um nacional da Geórgia , um grego e dois portugueses, foi apanhado na operação ‘Dynamo’, do Destacamento de Ação Fiscal da GNR de Faro, desencadeada a 25 de junho de 2019 na zona de Loulé e que envolveu mais de 100 operacionais. A ação teve o apoio da Europol e das autoridades polacas. Atualmente apenas um dos arguidos, polaco, de 56 anos, está ainda em prisão preventiva.

A rede estava a ser investigada desde janeiro de 2019. Na operação, a GNR desmantelou uma fábrica ilegal de manufaturação de cigarros em larga escala, na zona da Tôr, em Loulé. Segundo a acusação, o tabaco vinha da Polónia e os cigarros eram depois feitos no Algarve. Os militares deram cumprimento a 14 mandados, dos quais 5 de detenção, 7 de busca domiciliária, 1 de busca à fábrica e ainda outro a um armazém utilizado para o depósito dos cigarros ilícitos.

Ver comentários