Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

"Rui Pinto não queria ser mero ladrão de documentos", afirma diretor de site francês

Edwy Plene participou na sessão do julgamento do processo 'Football Leaks', no Tribunal Central de Instrução Criminal, em Lisboa.
Lusa 22 de Abril de 2021 às 18:48
Rui Pinto
Rui Pinto FOTO: Direitos Reservados
O diretor do site francês Mediapart, Edwy Plenel, assegurou esta quinta-feira que Rui Pinto não interferiu no trabalho do consórcio europeu de jornalistas de investigação que trabalhou sobre a informação dos casos 'Football Leaks', 'Malta Files' ou 'Luanda Leaks'.

Na audição durante a 37.ª sessão do julgamento do processo 'Football Leaks', no Tribunal Central de Instrução Criminal, em Lisboa, o jornalista francês manifestou também a sua convicção de que "é apenas a uma pessoa" que se deve "a libertação destes documentos" e que só soube que Rui Pinto estava por detrás da plataforma eletrónica após o anúncio do advogado William Bourdon. E vincou que Rui Pinto "jamais exigiu controlar o trabalho" realizado.

"Há uma tomada de consciência que se traduz na passagem de um simples blogue para a divulgação da informação. Nós tratávamos dos documentos lançados pelo 'John', que depois se veio a verificar ser Rui Pinto. Os documentos serviam como base para as nossas investigações", indicou a testemunha, que completou de seguida: "Rui Pinto não queria ser um simples ladrão de documentos, mas um cidadão que agia pelo interesse público."

Ver comentários