Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
4

Montemor-o-Velho mantém plano de emergência ativado até terça-feira

Trezentos alunos ainda se mantêm sem aulas naquele município.
17 de Outubro de 2018 às 08:08
Furacão Leslie
Furacão Leslie
Leslie provoca pânico e deixa rasto de destruição em Coimbra
Força do furacão Leslie em Coimbra
Leslie provoca pânico e deixa rasto de destruição em Coimbra
Leslie provoca pânico e deixa rasto de destruição em Coimbra
Furacão Leslie
Furacão Leslie
Leslie provoca pânico e deixa rasto de destruição em Coimbra
Força do furacão Leslie em Coimbra
Leslie provoca pânico e deixa rasto de destruição em Coimbra
Leslie provoca pânico e deixa rasto de destruição em Coimbra
Furacão Leslie
Furacão Leslie
Leslie provoca pânico e deixa rasto de destruição em Coimbra
Força do furacão Leslie em Coimbra
Leslie provoca pânico e deixa rasto de destruição em Coimbra
Leslie provoca pânico e deixa rasto de destruição em Coimbra
O município de Montemor-o-Velho prolongou até terça-feira o prazo de ativação do Plano Municipal de Emergência e Proteção Civil, anunciou a Câmara Municipal.

Este concelho do distrito de Coimbra foi um dos mais afetados pela passagem do furacão Leslie e logo na manhã de domingo decidiu ativar o plano.

"Efetivamente ainda há muito trabalho a fazer. Ainda há muita gente sem luz e sem acesso a algumas infraestruturas públicas", sustentou o presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho, citado numa nota de imprensa.

Emílio Torrão na mesma nota, reforça que "urge manter este Plano".

O autarca acredita que o concelho deu "uma grande lição de união e humildade nestas horas muito difíceis" mas que, apesar do trabalho de todos, não estão ainda reunidas as condições para repor a normalidade.

Trezentos alunos ainda se mantêm sem aulas naquele município.

A passagem do furacão Leslie por Portugal, onde chegou como tempestade tropical, provocou 28 feridos ligeiros e 61 desalojados.

A Proteção Civil mobilizou 8.217 operacionais, que tiverem de responder a 2.495 ocorrências, sobretudo queda de árvores e de estruturas e deslizamento de terras.

O distrito mais afetado pelo Leslie foi o de Coimbra, onde a tempestade, com um "percurso muito errático", se fez sentir com maior intensidade, segundo a Autoridade Nacional de Proteção Civil.

Na Figueira da Foz, uma rajada de vento atingiu os 176 quilómetros por hora no sábado à noite, valor mais elevado registado em Portugal, de acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.
Ver comentários