Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
7

CDU desafia Bispo do Porto a clarificar "presente e futuro" das respostas para a infância

Obra Diocesana de Promoção Social do Porto decidiu encerrar quatro Atelier de Tempos Livres (ATL's).
Lusa 28 de Junho de 2021 às 18:44
bispo do Porto, Manuel Linda
bispo do Porto, Manuel Linda FOTO: Laura Gonçalves/CMTV
A CDU lançou hoje um desafio ao Bispo do Porto para que clarifique a posição da igreja quanto "ao presente e ao futuro" das respostas para a infância no concelho, mostrando-se preocupada com o encerramento deste tipo de equipamentos.

O desafio foi lançado pela vereadora da CDU na Câmara do Porto, Ilda Figueiredo, que no período antes da ordem do dia expressou a sua preocupação perante a "série" de encerramentos deste tipo de respostas, e da qual é exemplo, a decisão da Obra Diocesana de Promoção Social do Porto de encerrar quatro Atelier de Tempos Livres (ATL's).

"O papel da Obra Diocesana na cidade tem sido importantíssimo, em colaboração com a Câmara e, por isso, ainda é mais preocupante. (...). O que eu coloquei é que se fale com o Sr. Bispo [D. Manuel Linda] no sentido de clarificar qual é a sua posição em relação ao presente e ao futuro" disse.

Apesar de a Câmara do Porto ter já garantido a continuidade desta resposta durante um ano, Ilda Figueiredo mostrou-se "seriamente preocupada" com o que se está a passar no caso da Obra Diocesana do Porto, dada a importância da instituição nomeadamente nos bairros sociais.

A vereadora referiu ainda que este não é o primeiro caso de equipamentos geridos por instituições religiosas que encerram, defendendo a necessidade de melhor coordenar a resposta.

O presidente da autarquia, o independente Rui Moreira, esclareceu que tem havido reuniões sobre esta matéria, mas não escondeu que a situação o preocupa.

O autarca lamentou que a Câmara, que tem uma relação com a Obra Diocesana "muito íntima", tenha sido surpreendida com a notícia do encerramento destas respostas, salientando que esta não é a forma mais "razoável" de se tratar um parceiro como o Município do Porto.

Adiantando que esta tarde iria ter uma reunião de trabalho sobre a situação na Obra Diocesana, Moreira salientou que a Segurança Social tem estado, nesta questão, alinhada com a autarquia, e referiu que o caminho que está a ser feito passa pela tentativa de encontrar outras instituições que estejam interessada em assumir aquelas respostas.

Pelo PS, Manuel Pizarro deixou claro o apoio do partido na resolução deste problema, contudo, considera ser necessária uma reflexão do ponto vista da rede social que, entende, não está articulada.

Já a socialista Fernanda Rodrigues defendeu que o tratamento destas questões não pode ser casuístico.

Em resposta, o vereador do Pelouro da Habitação e Coesão Social, Fernando Paulo, reiterou que a autarquia foi surpreendida pela decisão "abrupta" da Obra Diocesana, salientando que dada a situação em que a instituição se encontrava a autarquia vinham mantendo reuniões regulares com a Obra.

Fernando Paulo recusou ainda a ideia de que haja uma abordagem casuística ao problema, mas salientou que perante o facto, a autarquia se viu forçada a agir de imediato.

O vereador defendeu ainda que é necessário repensar o modelo de financiamento destas respostas, insuficiente para acompanhar as exigências atuais.

A Câmara do Porto indicou, no dia 21 de junho, estar disponível para assegurar, por um ano, a continuidade de quatro ATL da Obra Diocesana de Promoção Social do Porto, depois de a instituição ter anunciado que, face a "elevadas dificuldades financeiras", está a ser "ponderado e negociado" o encerramento de resposta de ATL em quatro centros, afetando "um máximo de 142 utentes".

VSYM // MSP

Lusa/Fim

CDU Câmara do Porto Ilda Figueiredo Obra Diocesana ATL Rui Moreira Fernando Paulo política autoridades locais
Ver comentários