Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
5

27 mil esperam operação aos olhos

Um total de 26 941 portugueses esperava, a 31 de Dezembro de 2008, por uma operação às cataratas, apesar do investimento realizado pelo Governo, que gastou 28 milhões de euros para reduzir, em seis meses, o número de doentes a operar.

20 de Fevereiro de 2009 às 00:30
27 mil esperam operação aos olhos
27 mil esperam operação aos olhos FOTO: d.r.

Apesar do elevado número de pessoas em lista de espera, o primeiro-ministro, José Sócrates, e a ministra da Saúde, Ana Jorge, classificam os resultados do Programa de Intervenção em Oftalmologia (PIO), apresentado ontem em Coimbra, como "um êxito". "Tínhamos um problema e resolveu-se com o Serviço Nacional de Saúde. Isto envergonhava o País", disse José Sócrates, referindo-se às 83 255 operações realizadas em 2008, mais do que as 56 458 registadas em 2007. O tempo médio de espera está em dois meses e meio.

Satisfeito com o facto de o Governo pôr os médicos a operar mais e a fazer mais consultas, evitando que mais portugueses se desloquem a Cuba, está o presidente da Câmara de Santarém, Moita Flores. "Quando enviámos 12 doentes a Cuba, Santarém foi o epicentro de um sismo com lóbis a castigarem-nos e a insultarem-nos. Fico feliz porque a nossa provocação fez o Governo reagir e o resultado são os números agora divulgados", disse ao CM.

Quem não viu com bons olhos o aumento de cirurgias e de consultas foi o presidente da Sociedade Portuguesa de Oftalmologia, António Travassos, que à Lusa considerou um "desinvestimento em outras áreas, como a oncologia". "Se fosse oncologista estaria preocupado. Como oftalmologista sei que há muitos doentes com cataratas que podem manter uma boa qualidade de vida sem a operação."

Discordando desta opinião, o bastonário dos médicos, Pedro Nunes, garante que há "desvio de recursos" e que a ida dos doentes a Cuba foi "propaganda política".

APONTAMENTOS

PRIMEIRA CONSULTA

Os doentes do Algarve são os que menos acesso têm à primeira consulta, seguidos dos habitantes do Alentejo.

DOIS MESES DE ESPERA

O tempo de espera médio por uma cirurgia aos olhos é, este ano, de cerca de dois meses e meio.

DESAFIO DA MINISTRA

A ministra Ana Jorge apela à Sociedade Portuguesa de Oftalmologia para ter critérios de boas práticas para médicos.

O QUE SÃO AS CATARATAS?

É a opacificação do cristalino, uma das lentes do sistema visual. É uma doença degenerativa e que pode levar à cegueira. Ocorre com mais frequência nas pessoas com mais idade e com inflamações oculares.

NÚMERO DE OPERADOS

2006: 45.531

2007: 56.458

2008: 83.255

UTENTES EM LISTA DE ESPERA (e tempo médio de espera, em meses)

2006: 30.604 (5,70)

2007: 29.852 (3,93)

2008: 26.941 (2,50)

 

Ver comentários