Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Açores estendem selo 'Clean & Safe' a transportes, termas, campismo e eventos

Depois de implementada, esta medida será fiscalizada pela Inspeção Regional do Turismo.
Lusa 1 de Maio de 2021 às 00:18
Selo 'Clean & Safe'
Selo 'Clean & Safe' FOTO: Direitos Reservados / Turismo de Portugal
O Governo dos Açores vai revalidar os selos 'Clean & Safe' que foram atribuídos no ano passado e pretende, este ano, chegar também aos transportes aéreos e marítimos, parques de campismo, termas e centros de eventos e congressos.

"O Governo dos Açores vai revalidar os selos 'Clean & Safe' já a partir de maio que foram atribuídos, no ano passado, às empresas de alojamento turístico, de restauração, agências de viagens, animação turística, aos guias, às empresas de rent-a-car e ainda aos museus e centros de interpretação", afirmou esta sexta-feira a diretora regional do Turismo, Rosa Costa.

A responsável adiantou que em maio têm início "as ações de formação de reciclagem nestas áreas", mas serão introduzidas "novas áreas de formação, nomeadamente no transporte aéreo e marítimo de passageiros, nas infraestruturas e piscinas termais, nos parques de campismo e ainda no que concerne aos eventos e congressos".

Depois de implementada, esta medida será fiscalizada pela Inspeção Regional do Turismo, explicou a diretora regional.

Rosa Costa falava hoje aos jornalistas numa conferência de imprensa para anúncio desta medida, em Ponta Delgada, onde esteve também presente o secretário regional dos Transportes, Turismo e Energia, Mário Mota Borges.

O responsável pela tutela destacou que o fim do estado de emergência pode ser um "prenúncio de alguma retoma para o turismo açoriano", mas é "importante que esta nova fase seja encarada com prudência e com cuidados".

Questionado sobre quais os mercados em que a região vai apostar, o governante afirmou que "a segurança é um aspeto fundamental e os mercados que consigam conciliar essa preocupação com a nossa, são mercados bem-vindos".

Mota Borges deixou ainda um apelo a que, "quer viajantes, quer residentes, tomem as medidas necessárias para minimizar qualquer disseminação eventual de contágio".

"Apelo a que os viajantes façam teste na origem, de forma a que não tenham de ficar confinados até receber o resultado do teste a fazer aqui nos Açores", reiterou.

O secretário regional lembrou que a região vai restituir os vouchers criados pelo anterior governo, fazendo, no entanto, a distinção entre viajantes nacionais ou internacionais.

Este incentivo é retomado porque, com o fim do estado de emergência, a região deixa de poder obrigar os viajantes a apresentarem teste prévio, por isso, é atribuído a quem apresente um teste feito previamente um 'voucher' de 35 euros para quem viaje a partir de Portugal e de 50 euros para quem venha do estrangeiro, que pode ser gasto em bens e serviços na região.

A diferença nos valores justifica-se pelo facto de ser possível fazer o teste gratuitamente em Portugal continental e na Madeira, através dos laboratórios convencionados, enquanto quem vem do estrangeiro tem de suportar o custo do teste à covid-19.

Os Açores têm atualmente 220 casos positivos ativos: 212 em São Miguel, quatro na Terceira, três em Santa Maria e um nas Flores.

Desde o início da pandemia foram diagnosticados 4.893 casos, tendo recuperado da doença 4.521 pessoas. Morreram 31, saíram do arquipélago 78 e 43 apresentaram prova de cura anterior.

Neste momento, a ilha de São Miguel é a única onde vigoram medidas restritivas, por ser a única do arquipélago em alto risco de contágio.

Todas as outras estão em muito baixo risco.

Ver comentários