Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Algas de Espanha invadem rio Tejo

Atingidas margens do rio nos concelhos de Vila Velha de Ródão, Castelo Branco e Nisa.
João Saramago 10 de Outubro de 2021 às 09:34
Mancha verde com crescimento rápido na abufeira da barragem espanhola de Cedillo, no rio Tejo
Mancha verde com crescimento rápido na abufeira da barragem espanhola de Cedillo, no rio Tejo FOTO: Direitos Reservados
O rio Tejo, na fronteira entre Portugal e Espanha, regista o rápido crescimento de uma mancha verde, resultante da proliferação de algas microscópicas. A mancha está localizada na albufeira da barragem de Cedillo, divulgou a Agência Portuguesa do Ambiente (APA). A zona atingida compreende as margens do rio nos concelhos de Vila Velha de Ródão, Castelo Branco e Nisa.

O aparecimento das cianobactérias “deve-se à concentração elevada de nutrientes na albufeira, nomeadamente fósforo, condições de temperatura e luminosidade elevada, que agora se observam, bem como à menor dinâmica de caudais, que desde agosto se têm verificado”, adianta a APA, sublinhando que há uma “diminuição da qualidade da água”.

“A poluição em Espanha resulta de escorrências para o Tejo de fertilizantes usados na agricultura e também das águas residuais”, explica o presidente da associação ambientalista Zero, Francisco Ferreira. O movimento ambientalista proTEJO considera que o esvaziamento de duas barragens espanholas para aproveitar os elevados preços da eletricidade no mercado – que estará a ser investigado pelo Governo de Madrid – agravou o problema. Este movimento vai apresentar uma queixa à Comissão Europeia contra Portugal e Espanha por “má gestão” do Tejo. Para os ambientalistas, o rio está “refém” dos interesses das hidroelétricas.
Ver comentários