Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Câmara da Covilhã atribui apoio extraordinário de 300 mil euros às IPSS

Objetivo é concelho a atenuar o aumento dos custos face à covid-19.
Lusa 16 de Abril de 2021 às 15:36
Câmara da Covilhã
Câmara da Covilhã FOTO: Direitos Reservados
A Câmara da Covilhã aprovou esta sexta-feira, por unanimidade, a atribuição de um apoio extraordinário global de 300 mil euros para ajudar as Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) do concelho a atenuarem o aumento dos custos face à covid-19.

"O grande objetivo é ajudar naquele esforço hercúleo que todas as IPSS do nosso concelho tiveram de fazer no âmbito desta pandemia que nos veio assolar, preocupar e que trouxe gastos extraordinários", apontou o presidente da autarquia, Vítor Pereira, no final da sessão do executivo, que se realizou hoje.

O autarca salientou que a distribuição da verba será feita de forma "equitativa, equilibrada e justa" e que visa ajudar a "amortecer a 'pancada'" que todas as instituições de solidariedade social tiveram, designadamente com gastos extra em equipamentos de proteção individual e noutras medidas integradas nos respetivos planos de contingência.

"É o reconhecimento de um esforço que todas as instituições tiveram e que é um esforço muito importante para o nosso concelho, porque as IPSS desempenham um papel importantíssimo no apoio aos nossos idosos, crianças e demais utentes".

Segundo esclareceu, esta autarquia do distrito de Castelo Branco decidiu estabelecer critérios de distribuição para que todas as instituições sejam abrangidas, respeitando os princípios da equidade e proporcionalidade.

Entre os critérios estão a norma da distribuição mínima equitativa e igualitários, com um peso de 20%, a questão do número de funcionários (20%) e o ponto relativo ao número de utentes que terá a percentagem mais significativo.

Foi ainda definida a salvaguarda de atribuição de um valor mínimo de cinco mil euros, dado que a aplicação dos critérios poderia levar a que alguma instituição não atingisse esse patamar.

De acordo com a lista apresentada pelo autarca, o Lar de S. José vai receber 28.240 euros, a Santa Casa da Misericórdia 17.290 euros, a Associação de Socorros Mútuos 18.967, o Centro de Convívio e Apoio à Terceira Idade do Tortosendo 16.403, a Fundação Anita Pina Calado 15.988, APPACDM da Covilhã 14.706, Centro Social Nossa Senhora da Conceição 12.926, Centro Paroquial de Assistência Nossa Senhora das Dores. 12.040 e Centro Comunitário das Minas da Panasqueira 11.814.

São igualmente contemplados o Centro de Solidariedade Social de S. Jorge da Beira (11.676 euros), Centro Social Sagrado Coração de Maria do Ferro (10. 634), Associação Regional de Solidariedade e Progresso do Alto Zêzere (10.577), Centro Social e Cultural de Santo Aleixo (9.651), Centro Social e Cultural de Verdelhos (9.499), Centro Social Divino Espírito Santo (9.379), Centro Social Comunitário do Peso (9.273), Associação Solidariedade Social de Sobral de S. Miguel (8.191), Centro Social e Cultural de Casegas (7.902), Centro de Assistência Social do Dominguizo (7.626), Centro Social de Vales do Rio (7.185), Instituto de Apoio Social do Ourondo (7.078), Centro de Apoio a Crianças e Idosos de Cortes (7.542), Casa do Menino Jesus (5.387), Centro Social Jesus Maria José (5.000), Centro Social Paroquial de Aldeia de S. Francisco de Assis (5.000), Centro de Dia de Orjais (5.027), Centro Social da Coutada (5.027), Centro de Dia de Vale Formos (5.000) e Centro de Dia para Idosos do Sarzedo (5.000).

Ver comentários