Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
4

Campanha alemã protesta contra fruta portuguesa

Culturas intensivas de frutos vermelhos e abacate alvo de críticas.
Rui Pando Gomes 15 de Setembro de 2021 às 08:47
Culturas intensivas em Odemira e Aljezur alvo de campanha germânica
Culturas intensivas em Odemira e Aljezur alvo de campanha germânica FOTO: Raquel Wise
A Associação dos Horticultores, Fruticultores e Floricultores de Odemira e Aljezur (AHSA) lamentou esta terça-feira uma campanha alemã contra culturas intensivas de frutos vermelhos e abacate naqueles concelhos.

Ao CM, Luís Mesquita Dias, presidente da AHSA, salientou que "os clientes estrangeiros sabem da qualidade dos nossos produtos e das condições dos nossos trabalhadores porque fazem visitas regulares às nossas explorações", admitindo, no entanto, que "os consumidores finais podem vir a ser influenciados na altura da compra" por estas "campanhas extremistas que surgem a partir de premissas erradas".

Este responsável referia-se a uma nova campanha em marcha na Alemanha contra as culturas superintensivas no Alentejo e no Algarve, sobretudo as estufas de frutos vermelhos e de abacate. A iniciativa exorta os consumidores alemães a boicotarem os produtos com origem nestas culturas superintensivas, alegando, entre vários argumentos, que estas degradam os solos e exploram os "escravos modernos da Ásia, de África e da Europa de leste".

Admitindo que esta campanha "pode ter um impacto momentâneo" em "alguns consumidores", Luís Mesquita Dias duvida que esta "que tenha expressão significativa".

O Movimento Juntos Pelo Sudoeste felicita a iniciativa germânica e volta a apelar a uma intervenção de Bruxelas.
Ver comentários