Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
4

Diretora afastada por vacinas da Covid-19 em jovens de 18 anos no Porto já foi 'apanhada' com currículo falso

Maria Dulce da Silva Pinto já tinha estado envolvida em polémica por aparecer na nomeação que era mestre, quando só tinha concluído parte do mestrado.
Pedro Zagacho Gonçalves(pedrogoncalves@cmjornal.pt) e Francisca Genésio 25 de Junho de 2021 às 15:33
A carregar o vídeo ...
Diretora afastada por vacinas da Covid-19 em jovens de 18 anos no Porto já foi 'apanhada' com currículo falso

Maria Dulce da Silva Pinto é a diretora executiva do agrupamento de centros de saúde (ACES) do Porto Oriental, que agora se vê afastada de funções no processo de vacinação contra a Covid-19, após virem a público casos de jovens de 18 anos vacinados antecipadamente na região, como foi o caso da filha da apresentadora Maria Cerqueira Gomes, Francisca Cerqueira Gomes. Mas esta não é a primeira polémica em que a enfermeira, que já vai no segundo mandato à frente da ACES, se vê envolvida, nem tão pouco a primeira vez que se vê afastada de funções.

Em 2012, Maria Dulce Pinto, acabaria afastada de funções por ter apresentado um currículo com falsas habilitações, num escândalo de currículos com alegadas informações falsas na ARS-Norte. No caso, enfermeira havia sido nomeada pelo então ministro da Saúde, Paulo Macedo, com a designação de mestra mas, no currículo apresentado, estava apenas como completa a primeira parte do mestrado (curricular) do curso, ou seja, não havia tese apresentada.

No currículo da enfermeira aparecia também um doutoramento que, após rebentar o primeiro escândalo, a ARS-Norte não confirmou a conclusão do mesmo.

Sobre a designação de ‘mestre’ que aparecia no despacho de nomeação publicado em Diário da República, a ARS-Norte disse que se havia tratado de "um lapso". Com efeito, quando Maria Dulce da Silva Pinto voltou a ser conduzida no cargo de diretora executiva do agrupamento de centros de saúde do Porto, no despacho de nomeação consultado pelo Correio da Manhã, a enfermeira aparece com a designação de ‘licenciada’. Não há referência à conclusão do doutoramento.

Contactada pelo CM relativamente ao caso que agora volta a envolver a diretora do do agrupamento de centros de saúde do Porto Oriental, a ACES recusou fazer "quaisquer comentários" e remeteu eventuais explicações para a ARS-Norte.

Segundo o currículo publicado em Diário da República, antes de ocupar o cargo atual Maria Dulce Pinto foi Vogal do Conselho Clínico e de Saúde do Agrupamento de Centros de Saúde Cávado I, em Braga, trabalhou no Departamento de Contratualização de Cuidados de Saúde Primários da ARS-Norte, e foi enfermeira em Viana do Castelo e Caminha.

Após os casos de vacinação de jovens de 18 anos virem a público, Gouveia e Melo, coordenador da 'task force' para a vacinação Covis-19, já veio confirmar que foi apresentada queixa à Polícia Judiciária.

Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Ver comentários