Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Discotecas e bares reabrem às 22h00 de hoje. Conheça as regras em vigor

Empresários voltam a abrir espaços ao fim de três semanas fechados.
Edgar Nascimento 14 de Janeiro de 2022 às 01:30
A carregar o vídeo ...
Discotecas e bares reabrem às 22h00 de hoje. Conheça as regras em vigor
A partir das 22h00 desta sexta-feira os bares e discotecas já podem voltar a abrir portas, após três semanas de encerramento.

Aos clientes vai ser exigida a apresentação de um certificado digital (na modalidade de teste ou de recuperação) ou a prova de que foi vacinado com uma dose de reforço há pelo menos 14 dias. Os restantes clientes terão de apresentar um resultado de teste negativo (PCR feito há menos de 72 horas ou teste rápido de antigénio com menos de 48 horas) ou realizar um autoteste à porta do estabelecimento, sob supervisão e verificação do funcionário responsável pelo acesso ao bar ou discoteca. O consumo de bebidas alcoólicas permanece proibido na via pública, exceto nas esplanadas.

Os bares e discotecas estão fechados desde o dia de Natal. Estava prevista a reabertura para 9 de janeiro (domingo), mas o Governo decidiu prolongar o período de encerramento até às 22h00 de hoje. Uma medida que as associações do setor consideraram mais penalizadora para os bares do que para as discotecas, pois estes últimos espaços já só contavam reabrir as portas no final desta semana. Desde o início da pandemia, os bares e discotecas estiveram encerrados 19 meses e só abriram em outubro do ano passado.

O ‘negócio’ da noite representava antes da pandemia um volume de 600 milhões de euros e empregava diretamente mais de 17 mil pessoas. Os bares e discotecas dispõem de apoio extraordinário para colmatar a quebra de faturação, correspondente a 20 por cento das quebras apuradas entre o 4º trimestre de 2020 e o 4º trimestre de 2019. O valor pode atingir, para empresas com quebras entre 25% e 50%, entre 5 mil euros e 67 500 euros, e para as que tiveram quebras superiores a 50%, entre 7500 e 101 250 euros.

Teletrabalho passa a ser recomendado
Uma das medidas de contenção decretadas pelo Governo é o teletrabalho obrigatório sempre que possível. Essa obrigatoriedade termina hoje, e a partir de amanhã o teletrabalho é apenas recomendado. Desde o início da pandemia o número de pessoas em teletrabalho tem variado entre 600 mil e 1 milhão.

Medidas sem data prevista para o seu fim
As medidas de contenção da pandemia, decretadas pelo Governo no dia 6 de janeiro, após a última reunião com peritos no Infarmed, não têm data prevista para terminarem. Apenas as medidas relacionadas com a testagem de passageiros oriundos ou que viajem em voos internacionais têm uma data-limite: 9 de fevereiro.
Governo economia negócios e finanças política autoridades locais bens de consumo economia (geral)
Ver comentários