Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
3

Dor constante nos joelhos pode indicar artroses ou até lesão no menisco

Desconforto pode ter origem em lesões musculares, fraturas e até sobrecarga física.
Francisca Genésio 6 de Abril de 2019 às 12:30
Correr
A exposição à radiação durante a atividade física deve ser controlada
Correr
Correr
A exposição à radiação durante a atividade física deve ser controlada
Correr
Correr
A exposição à radiação durante a atividade física deve ser controlada
Correr
Sentir dor de forma constante nos joelhos pode ser um sinal de alerta para problemas como artroses ou até lesões no menisco.

Por ser uma das articulações mais complexas e importantes do corpo humano, o paciente deve estar atento a algumas características da dor, assim como a outros sintomas, como febre e instabilidade no membro.

"As especificidades do doente, a localização da dor, as circunstâncias do seu aparecimento, as manobras que a desencadeiam e as suas características dão ‘pistas’ clínicas para o apuramento da causa que posteriormente se confirma com os exames complementares de diagnóstico", explica ao Correio da Manhã João Gamelas, coordenador da Unidade de Ortopedia e Traumatologia do Hospital Lusíadas Lisboa.

O diagnóstico é realizado com recurso à história clínica do paciente, e com exames como radiografias, ecografias, tomografia computorizada (TAC) e ressonância magnética.

As causas para a dor nos joelhos, também conhecida como gonalgia, são várias: lesões musculares, fraturas, sobrecargas físicas sistemáticas, que dão origem a tendinites, patologia reumática, artroses e tumores, entre outras.

"Ainda que muitas das causas de gonalgia sejam benignas, provocando dores transitórias, algumas são graves e podem deixar sequelas, pelo que, em caso de dúvida e/ou de persistência da dor, é importante consultar um médico especialista em patologia do joelho", recomenda o clínico.

Regra geral, a gonalgia é mais frequente em idades avançadas, relacionando-se "com a evolução do processo degenerativo articular, podendo existir uma predisposição familiar para o desenvolvimento", acrescenta.

A terapêutica a adotar para as diferentes patologias é geralmente conservadora, ou seja, com recurso a medicação e fisioterapia, mas em casos mais graves a cirurgia pode mesmo ser a única solução.

Exercícios de alongamento podem ajudar
A fisioterapia é, muitas vezes, aconselhada pelos especialistas aos pacientes que têm dor nos joelhos. Há vários exercícios que podem ser realizados, dependendo da idade da pessoa, do tipo e da causa da dor.

Normalmente, a fisioterapia recorre a exercícios de alongamento, mobilização articular e de fortalecimento dos músculos para garantir a estabilidade das articulações. Podem também ser utilizados aparelhos de eletroterapia.

Sinais de artrose no joelho podem variar
A artrose está relacionada com a idade, sendo mais frequente a partir dos 50 anos e, segundo o ortopedista João Gamelas, é também mais comum nas mulheres do que nos homens.

"As manifestações clínicas da artrose do joelho variam segundo o compartimento afetado, o estádio em que se encontre e a causa responsável", explica João Gamelas, alertando para o facto que "o sintoma dominante é a dor".

"Evitar atividades que agravem a dor no joelho"
João Gamelas, médico no H. Lusíadas Lisboa
CM - Como se distingue a dor no joelho proveniente de um esforço físico de um problema mais grave?
João Gamelas – A dor no joelho com maior probabilidade de ser benigna é aquela que aparece em jovens, apenas durante ou após o esforço, e sem outra sintomatologia associada, como o aumento de volume do joelho.
– Que tipo de atividades devem ser evitadas quando existe dor?
– Evitar todas as atividades que provoquem ou agravem a dor no joelho, imediata ou tardiamente após a atividade sendo, nestes casos, recomendado o repouso até ao esclarecimento de diagnóstico e tratamento adequado.
– Que comportamentos deverão ser adotados?
- Estilos de vida saudável, com prática de exercício físico adaptado às eventuais condicionantes de saúde e sem excesso de peso.
Ver comentários