Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Droga: Recorde no número de substâncias descobertas na Europa

O número de novas drogas descobertas pelas autoridades na Europa foi novamente o maior de sempre no ano passado, com 49 novas substâncias, revelou esta quinta-feira o relatório anual do Observatório da Droga e da Toxicodependência (OEDT).
26 de Abril de 2012 às 10:10
Aumento verifica-se no campo das drogas vendidas em lojas, através da Internet e publicitadas como "legais"
Aumento verifica-se no campo das drogas vendidas em lojas, através da Internet e publicitadas como 'legais' FOTO: d.r.

É o maior número de novas substâncias psicoactivas detectadas através do sistema europeu de alerta num único ano, batendo o recorde de 41 atingido em 2010, refere o OEDT.

O aumento verifica-se no campo das drogas vendidas em lojas e através da Internet e publicitadas como "legais".

"A velocidade a que as novas drogas aparecem no mercado desafia os métodos estabelecidos de monitorização, resposta e controlo do uso de novas substâncias psicoactivas", indica o OEDT no relatório.

Das 49 novas substâncias, 23 são canabinóides sintéticos, que se popularizaram nos últimos anos muitas vezes sob a designação de "Spice", um produto vendido através da Internet e em "smart-shops" especializadas e embalado como mistura herbal para ser usada como ambientador.

Fumados, produzem efeitos semelhantes ao cannabis. O relatório do Observatório indica taquicardia, agitação, alucinações, hipertensão e náuseas como efeitos secundários registados após o consumo de produtos tipo "Spice".

O director do OEDT, Wolfgang Götz, afirmou que estas novas drogas são vendidas numa "crescente variedade de pós, comprimidos e misturas" a pessoas que "estão a jogar um perigoso jogo de roleta", sem saber exactamente o que estão a consumir.

Quanto a Rob Wainwright, director da Europol, afirmou que "a Internet está a ser abusivamente utilizada pelas organizações criminosas" e defendeu que as agências policiais têm que ter "modernos meios operacionais e legislativos" para as combater.


O OEDT assinala que não há números fiáveis que dêem a dimensão exacta do uso deste tipo de substâncias entre a população europeia.

Segundo os números do Eurobarómetro de 2011, ano que foram entrevistados 12 mil jovens entre os 15 e os 24 anos, cinco por cento afirmaram ter consumido drogas sintéticas publicitadas como legais.

Vários países começam a prestar atenção ao consumo: em Espanha, um inquérito nacional a estudantes, realizado em 2010, permitiu concluir que 3,5 já tinha consumido estas "novas drogas".

Nos canabinóides descobertos em 2012 regista-se um "aumento de número e diversidade", com cinco tipos de produtos químicos novos, fixando-se agora em 45 o número de canabinóides sintéticos conhecidos.

O OEDT monitoriza constantemente a Internet, veículo privilegiado para a venda destas substâncias e registou um aumento de lojas online que as comercializam: de 170 em Janeiro de 2010, o número subiu para 690 em Janeiro deste ano.

Os "euforizantes legais" ou "químicos para efeitos de pesquisa", como são vendidos, são um "fenómeno global que cresce a um ritmo sem precedentes", indica o OEDT no relatório.

Entre as novas substâncias descobertas no ano passado estão também variantes das catinonas como a mefedrona - uma substância análoga às anfetaminas conhecida como "miau miau" e acrescentada este ano à lista de substâncias proibidas em Portugal.

Ver comentários