Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Especialistas dão conselhos para viver melhor durante crise da pandemia do coronavírus

É preciso manter o corpo e o espírito sãos para passar da melhor forma o período de isolamento social.
Correio da Manhã 19 de Abril de 2020 às 10:11
Coronavírus
Coronavírus
Coronavírus
Coronavírus
Coronavírus
Coronavírus
Em tempos de pandemia de coronavírus, reunimos os conselhos de vários especialistas sobre como viver melhor na crise da pandemia. É preciso manter o corpo e o espírito sãos para passar da melhor forma o período de isolamento social.

João Fernando Martins, psicólogo clínico e forense
"Faça uma agenda diária"
"Os adultos podem fazer uma agenda diária onde incluam algum exercício, tarefas domésticas, trabalho (se for o caso) e lazer. Tente focar-se numa tarefa de cada vez evitando uma sobreposição de estímulos. Ponto importante é evitar conflitos com familiares. Compreenda que numa situação de isolamento eles podem ser mais comuns e evite uma escalada de emoções negativas".

Vera de Melo, psicóloga
"Dizer-lhes que importam"
Para os idosos, ficar em casa é algo complexo, é retirar-lhes vida. Agora é a altura dos papéis se inverterem e sermos nós a dizer aos mais velhos, aquilo que sempre nos disseram: Tenham juízo! Praticar a empatia ajuda a ajustar a linguagem que deve conter a mensagem, tornando-a emocional. Devemos fazê-los sentir o quão importantes são para nós".

Marta Martins Leite, psicóloga clínica
"Ensino virtual pode ser bom"
"O ensino à distância tem vantagens: a proximidade com as famílias, terem oportunidade de se conhecer melhor e poderem usufruir de tempo de qualidade com os seus pais, que até aqui todos diziam não ter. Têm mais tempo para usufruir do uso dos computadores (e não apenas telefones e tabletes) e aprendem a usar as novas tecnologias para adquirir conhecimento".

Inês Sottomayor, ‘Coach’ Infantil
"Crianças espelham-nos"
"Claro que as crianças sentem medo, falta dos amigos e dos familiares que vivem longe. Mas a forma deles reagirem depende da forma como os pais estão a reagir, eles vão-nos espelhar, modelar as nossas atitudes e aqui é fundamental estarmos atentos se o que dizemos é congruente com o que sentimos, eles pressentem quando não bate certo".

Pedro Brás, psicólogo
"Apoio aos profissionais"
"Os profissionais de saúde, estão na linha da frente desta crise sanitária e convivem de perto com a doença e o medo. Criámos uma consulta gratuita de intervenção para todos os profissionais essenciais onde, por videochamada, prestamos o apoio psicológico nesta fase de grande pressão emocional aos que precisam de gerir da melhor forma as dificuldades".

David Gião, personal trainer
"Manter o treino em casa"
"Mesmo em casa o treino deve ser mantido, mas ajustado ao material de que se dispõe – podem usar-se elásticos, halteres, toalhas, TRX, pacotes de alimentos, cadeiras, tudo o que a imaginação permitir. Todos os grupos musculares devem ser treinados. Podem ser feitos treinos de corpo inteiro ou dividindo por grupos musculares, tal como se faz no ginásio".

Carlos Almeida, dentista
"Aumentar higiene oral"
"Todas as clínicas dentárias do País foram encerradas para proteção dos pacientes e dos profissionais de saúde, pelo elevado risco: as taxas de contágio são superiores a 95% devido aos aerossóis produzidos pelos instrumentos rotatórios como é o caso da turbina. Só em casos muitos específicos de urgências dentárias podem ser atendidos. É preciso aumentar a higiene oral em casa".

Jorge Cid, bastonário ordem dos veterinários
"Animais ajudam muito"
"A presença de um animal de companhia pode ser a chave para que este período de confinamento se torne mais leve, nomeadamente, no caso de idosos, crianças ou pessoas sós. Fazem companhia, evitam o sentimento de solidão e ajudam os seus detentores a manter rotinas, havendo estudos que sugerem que a sua presença melhora sintomas de ansiedade e depressão".

João Catarino, medicina tradicional chinesa
"Uma ajuda na batalha"
"A medicina chinesa utiliza o potencial curativo do organismo para tratar as patologias. Ou seja, procura potenciar o sistema imunitário para que este consiga ser mais eficaz na resposta. Assim, doentes infetados com Covid-19 que apresentem sintomas leves como febre, tosse, dor de garganta, fraqueza e falta de apetite, podem ser ajudados a travar esta batalha".

Sukham Rodrigues, meditação
"Momento para existir"
"Um exercício muito simples e que faz bem a qualquer pessoa é concentrar-se na respiração durante alguns minutos. Não precisa ser em posição de lótus mas convém manter as costas direitas. É concentrarmo-nos no momento, atentos a nós próprios, e em existir. Concentrarmo-nos no milagre da vida. Este momento, que nos obrigou a parar, é oportuno para isso".

Vítor Feytor Pinto, padre
"Ajudar a não estar sozinho"
"Não são os lugares que nos levam a ter uma relação com Deus. A igreja tem a extraordinária capacidade de ir ter connosco neste momento, através das novas tecnologias. A marca do cristão é a sua relação com Deus e com o outro. Neste momento, o nosso amor é ajudar o outro a não estar sozinho. É visitá-lo pelo telefone, pela internet. É quebrar o isolamento do coração".

Liliana Martins, professora de Ioga
"Acalmar e serenar"
"A prática de yoga deverá ser diária e incluir a saudação ao sol, uma sequência de 12 posturas (asanas) que nos permitem um equilíbrio global do corpo. Coordenar os exercícios com a respiração, fundamental nesta fase para acalmar e serenar. Para além desta sequência, devemos fazer exercícios respiratórios (pranayamas) que atuam sobre o nosso estado mental e emocional."

Carlos Martins, naturopata
"Segura e barata"
"Sabe-se hoje que a carência de vitamina D agrava o risco de infeção respiratória, que dois terços dos portugueses em 2020 tem níveis insuficientes e que o isolamento em casa é um fator de agravamento. Não dispomos de dados especificamente sobre a Covid-19 mas, devemos considerar que a implicação da vitamina D seja idêntica. Para além disso, é segura e barata".

Tito Rodrigues, DECO
"Desconfiar evita fraudes"
"A regra de ouro para evitar as fraudes é desconfiar. Desconfiar dum email cujo remetente é desconhecido. De curas milagrosas para a Covid-19 e de campanhas de vacinação. Desconfiar de ofertas boas de mais para ser verdade (como a redução das faturas de água, luz e gás em 30%). Em plena crise sanitária, a vulnerabilidade emocional é terreno fértil para a perpetração de burlas".

Paula Castella, Associação Portuguesa de Reiki
"Focar a atenção no coração"
"Para fazer o autotratamento de Reiki, colocar a mão dominante por cima do umbigo, e a outra na testa (15 minutos), e depois mais 15 minutos passa esta última para cima da outra mão. Focar a atenção no nosso coração, para ficarmos mais leves, libertar o medo, a angústia, o pânico através da expiração. Pela inspiração, vamos receber amor, paz, calma, confiança".
Covid-19 Deus saúde questões sociais doenças medicina
Ver comentários