Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
1

Exposição solar sem protetor só durante 20 minutos

Funcionam como barreiras à radiação, limitando a produção da vitamina D.
Francisca Genésio 17 de Agosto de 2019 às 10:06
Protetor solar
Protetor solar
Protetor solar
Protetor solar
Protetor solar
Protetor solar
Protetor solar
Protetor solar
Protetor solar
A exposição solar é uma atividade fundamental para que uma pessoa consiga produzir vitamina D - indispensável para a absorção intestinal do cálcio, assim como para o crescimento ósseo. Os protetores solares servem, no entanto, como barreiras à radiação, limitando a produção da vitamina. Os especialistas aconselham, por isso, uma exposição entre 15 a 20 minutos diários, sem qualquer loção de proteção na pele.

"Temos de ter atenção ao equilíbrio, não nos podemos esquecer dos efeitos nocivos do excesso de exposição à radiação ultravioleta e, por isso, esta exposição deve ser feita de forma diária, mas durante pouco tempo", explica ao Correio da Manhã Mariana Alves, médica formada em medicina estética, alertando para a necessidade de colocar protetor solar "logo após os 15 a 20 minutos de exposição". A recomendação estende-se aos dias em que o céu está nublado.

"Os raios UVA e UVB têm a capacidade de atravessar as nuvens e, portanto, mesmo num dia nublado, é possível que a pele fique escaldada", esclarece Mariana Alves.

Escaldões, manchas na pele, envelhecimento precoce, cancro da pele, cataratas e até cegueira são apenas algumas das consequências do excesso de exposição solar. Há ainda estudos que relacionam a falta desta vitamina com o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, osteoporose e diabetes.

Há três tipos de raios ultravioleta: UVA, UVB e UVC. Os dois primeiros são os mais perigosos: causam queimaduras e podem atingir camadas profundas da pele. Atualmente quase todas as loções de proteção garantem o bloqueio destes dois tipos de radiação, mas os raios ultravioleta podem ser parcialmente refletidos em algumas superfícies.

"Devemos levar em conta este aspeto e redobrar a atenção quando estamos próximos à água e à areia", acrescenta a médica. A par da exposição solar, há também alimentos que ajudam na produção da vitamina: óleo de fígado de bacalhau, sardinha grelhada, corvina cozida e salmão grelhado são alguns exemplos.

DISCURSO DIRETO
Mariana Alves, formada em Medicina Estética
"Evitar exposições superiores a 40 minutos"

CM - Há sintomas quando os raios ultravioleta penetram a pele?
Mariana Alves - Sim, notamos imediatamente um aumento da temperatura da pele devido à vasodilatação, sendo que passados alguns minutos depois pode aparecer um ligeiro eritema.

- Como é que se pode saber se já apanhámos sol o suficiente?
- Quando há vermelhidão na pele. Porém, pessoas de pele morena não mostram este efeito imediatamente. Nestes casos deve-se ficar atento ao tempo de exposição, evitando exposições superiores a 40 minutos.

- As pessoas de cabelo ruivo são particularmente sensíveis à radiação ultravioleta?
- As pessoas de pele clara e cabelo ruivo têm menos capacidade de produzir melanina e, por isso, têm mais propensão de sofrer os efeitos nocivos desta radiação.
UVA UVB Mariana Alves saúde questões sociais
Ver comentários
}