Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
6

Falta água para regar campos em Abrantes, Constância, Mação e Sardoal

Culturas em risco nas zonas do rio Tejo.
José Durão 28 de Julho de 2021 às 08:41
Caudal baixo no rio Tejo deixa agricultores preocupados
Caudal baixo no rio Tejo deixa agricultores preocupados FOTO: Jornal de Abrantes
A falta de água no rio Tejo está a colocar em risco 1600 hectares de explorações agrícolas nos concelhos de Abrantes, Constância, Mação e Sardoal. “Desde quinta-feira à tarde que a situação é preocupante”, disse ao CM Luís Damas, presidente da associação de agricultores desses territórios, que reúne 120 associados. Numa altura em que culturas como o milho, o girassol, a amêndoa, a azeitona e a noz necessitam de água para completar a última fase de crescimento, falta de água para rega pode causar perdas significativas para os agricultores. “O caudal mínimo semanal não é suficiente”, explica Luís Damas. O fluxo de água no rio Tejo é controlado por barragens espanholas, nomeadamente Cedillo, a última antes de entrar em território nacional. A gestão destes fluxos “não é ambiental nem virada às necessidades, mas meramente económica”, explica Luís Damas. “Quando há muito vento, e a energia eólica está barata, fecham a barragem”, assinala.

Por convenção, Espanha garante um caudal mínimo semanal do rio Tejo. Porém, é habitual que a descarga seja feita apenas num dia, ficando os agricultores os restantes seis sem água para as suas culturas.

“Já vai haver perdas de produtividade. Se não houver mais água, a perda poderá ser total”, avisa Luís Damas. A solução “teria de passar pela construção de uma barragem no rio Ocreza, que possa abastecer o rio e colocar a gestão dos fluxos de água do rio Tejo nas mãos de decisores nacionais”.
Cedillo rio Tejo Constância Abrantes Mação Sardoal Luís Damas Espanha ambiente água
Ver comentários