Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Formato dos festejos do Ano Novo no Porto vai ser repensado face às obras do metro

Obras vão começar dia 10 de novembro com previsão de durarem 13 meses.
Lusa 5 de Novembro de 2021 às 14:28
Metro do Porto
Metro do Porto FOTO: Estela Silva/Lusa
A vereadora da Mobilidade da Câmara do Porto admitiu esta sexta-feira que os festejos da passagem de ano terão de ser repensados "num formato distinto" face aos constrangimentos provocados pelas obras da construção da nova linha de metro.

Aos jornalistas, à margem de uma visita ao estaleiro da obra da construção da nova linha Rosa da Metro do Porto, Cristina Pimentel afirmou que o Ano Novo, habitualmente celebrado na Avenida dos Aliados, "terá de ser repensado num formato eventualmente distinto".

"Não posso adiantar porque ainda não temos esse plano fechado, mas com certeza que aqui haverá sempre esse constrangimento, mas a cidade continuará a usufruir da sua praça", salientou.

Questionada também sobre os constrangimentos que as obras vão trazer aquela avenida que é "cartão de visitas" do Porto, Cristina Pimentel afirmou que a autarquia tenciona manter a área como "uma zona privilegiada de atração", dando como exemplo a montagem da árvore de Natal, que já se iniciou.

"O facto de a obra estar aqui, ela conseguirá conviver com certeza com todos os eventos, exemplo disso é a árvore de Natal", acrescentou.

O presidente da Metro do Porto, Tiago Braga, revelou esta sexta-feira que a Rua dos Clérigos ficará interdita ao trânsito a partir de quarta-feira e por um período de cerca de 13 meses devido às obras da Linha Rosa.

Na Praça da Liberdade vai ser construído um túnel com 20 metros de profundidade e cerca de quatro metros de diâmetro, intitulado Rio de Vila, para "canalizar as águas pluviais".  

Ao mesmo tempo vão começar a ser feitas as "paredes moldadas" da futura estação da Praça da Liberdade, que irá "corresponder às dinâmicas de movimentação" daquela zona que é o "coração" do Porto, estando previstas cinco saídas: duas no Largo dos Loios, uma nas imediações da Estação de S. Bento e duas na Praça da Liberdade (uma perto do Hotel Intercontinental e outra junto à Rua 31 de Janeiro).

Face aos impactos causados, a vereadora Cristina Pimentel deixou como conselho a utilização do transporte público, lembrando que quer a Metro do Porto, quer a Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP) "estarão sem qualquer constrangimento de serviço e percursos".

A Linha Rosa terá quatro estações e cerca de três quilómetros de via, ligando São Bento/Praça da Liberdade à Casa da Música, sendo que as obras deverão prolongar-se até ao final de 2023.

Ano Novo Porto Câmara do Porto construção e obras públicas política transportes Linha
Ver comentários