Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
3

Gripe A: Morte de feto em Portalegre sem relação com vacina (ACTUALIZADA)

A morte do feto de 39 semanas no Hospital Distrital de Portalegre não está relacionada com a toma, pela grávida, da vacina contra a gripe A Pandemrix, divulgou fonte do ministério da Saúde.



23 de Novembro de 2009 às 20:07
Gripe A: Morte de feto em Portalegre sem relação com vacina (ACTUALIZADA)
Gripe A: Morte de feto em Portalegre sem relação com vacina (ACTUALIZADA)

"O feto não sobreviveu a ter o cordão umbilical enrolado à volta do pescoço", avançou a mesma fonte. 
 
A grávida residente em Ponte de Sôr deu entrada, nas últimas 24 horas, nesta unidade hospitalar, onde a 15 de Novembro morreu um outro feto com 34 semanas em que a mãe também foi vacinada.

O pai da grávida, Romão Catarino, confirmou o caso à 'Rádio Portalegre', referindo que uma das possíveis causas poderá ter resultado do enrolamento do cordão umbilical à volta do pescoço do feto.

No espaço de oito dias, sobe para quatro o número de grávidas vacinadas com a Pandemrix que perderam os bebés. Além dos dois casos de Portalegre, ocorreu um em Lisboa e um outro em Leira.

Na Europa são conhecidos pelo menos mais três casos com grávidas que tomaram a vacina e perderam os bebés. Dois na Noruega e um em França.

"A média anual registada é de 300 mortes fetais tardias e independentemente da vacina, vão ocorrer mais cerca de 30 mortes fetais no país até final do ano", disse em anteriores declarações Nuno Montenegro, director do Serviço de Obstetrícia do Hospital de São João, no Porto.

Ver comentários