Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

Há duas formas de ejaculação feminina

Médicos franceses utilizaram ultrassons para compreender melhor a sexualidade das mulheres.
C.C. 14 de Janeiro de 2015 às 13:23
Ponto U: Alcança-se através da estimulação da uretra. A intensidade pode ser semelhante à do Ponto G
Orgasmo anal: Prática que pode proporcionar orgasmos muito intensos
O poder da mente: ‘Orgasmo mental’ permite fantasiar e, deste modo, satisfazer o desejo sexual
Peito e mamilos: Os seios e mamilos são algumas das partes do corpo feminino mais sensíveis ao toque e, portanto, um ponto de grande excitação
Ponto G: Localiza-se no interior da vagina, na parte superior do osso púbico. Quando é estimulado pode ser o orgasmo mais intenso que uma mulher pode sentir
Orgasmo vaginal: Tipo de prazer raro e difícil de alcançar. É um orgasmo em que o tamanho do órgão sexual masculino é importante, uma vez que quanto mais profunda for a penetração, mais fácil se torna estimular o colo do útero
2 – Orgasmo clitoriano: É a experiência que a maioria das mulheres tem durante o sexo. A função do clitóris é, única e exclusivamente, proporcionar prazer
Ponto U: Alcança-se através da estimulação da uretra. A intensidade pode ser semelhante à do Ponto G
Orgasmo anal: Prática que pode proporcionar orgasmos muito intensos
O poder da mente: ‘Orgasmo mental’ permite fantasiar e, deste modo, satisfazer o desejo sexual
Peito e mamilos: Os seios e mamilos são algumas das partes do corpo feminino mais sensíveis ao toque e, portanto, um ponto de grande excitação
Ponto G: Localiza-se no interior da vagina, na parte superior do osso púbico. Quando é estimulado pode ser o orgasmo mais intenso que uma mulher pode sentir
Orgasmo vaginal: Tipo de prazer raro e difícil de alcançar. É um orgasmo em que o tamanho do órgão sexual masculino é importante, uma vez que quanto mais profunda for a penetração, mais fácil se torna estimular o colo do útero
2 – Orgasmo clitoriano: É a experiência que a maioria das mulheres tem durante o sexo. A função do clitóris é, única e exclusivamente, proporcionar prazer
Ponto U: Alcança-se através da estimulação da uretra. A intensidade pode ser semelhante à do Ponto G
Orgasmo anal: Prática que pode proporcionar orgasmos muito intensos
O poder da mente: ‘Orgasmo mental’ permite fantasiar e, deste modo, satisfazer o desejo sexual
Peito e mamilos: Os seios e mamilos são algumas das partes do corpo feminino mais sensíveis ao toque e, portanto, um ponto de grande excitação
Ponto G: Localiza-se no interior da vagina, na parte superior do osso púbico. Quando é estimulado pode ser o orgasmo mais intenso que uma mulher pode sentir
Orgasmo vaginal: Tipo de prazer raro e difícil de alcançar. É um orgasmo em que o tamanho do órgão sexual masculino é importante, uma vez que quanto mais profunda for a penetração, mais fácil se torna estimular o colo do útero
2 – Orgasmo clitoriano: É a experiência que a maioria das mulheres tem durante o sexo. A função do clitóris é, única e exclusivamente, proporcionar prazer

As mulheres têm duas formas diferentes de ejaculação, segundo uma investigação levada a cabo por ginecologistas franceses. Enquanto numa ejaculação o líquido é branco e espesso, noutra o líquido é praticamente transparente e fino. Esta análise ao fenómeno orgânico feminino foi possível através da utilização de ultrassons, ou seja, frequências superiores àquelas que o ouvido humano pode perceber.

Além de identificarem esta diferença, os médicos franceses descobriram que o líquido da ejaculação feminina tem origem na bexiga. Entre as sete mulheres analisadas verificou-se que em duas delas o líquido tinha químicos semelhantes aos encontrados na urina, ao contrário do que acontecia nas restantes cinco, que apenas tinham a enzima PSA (Antígeno Prostático Específico, enzima utilizada para diagnosticar doenças como o cancro da próstata).

"Este estudo mostra outros dois tipos de fluidos que podem ser expulsos pela uretra feminina", explicou Beverley Whipple, neurofisiologista na Universidade Rutgers, à revista científica News Scientist.

Apesar de todos os avanços conseguidos, a equipa do ginecologista francês Samuel Salama, do hospital privado Parly II, em Le Chesnay, não conseguiu identificar a função para o organismo feminino dos líquidos libertados pelas mulheres durante o orgasmo.

No estudo francês foram analisadas sete mulheres que afirmaram libertar, durante a ejaculação, uma quantidade de líquido equivalente a um copo de água.

Ver comentários