Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
1

Inquilinos defendem mais cinco anos para período de transição de rendas antigas

Associação dos Inquilinos Lisbonenses quer ver a medida incluída no Orçamento do Estado para 2022.
Lusa 20 de Setembro de 2021 às 10:01
Lisboa
Lisboa
A Associação dos Inquilinos Lisbonenses (AIL) defende o prolongamento por mais cinco anos do período transitório para contratos de arrendamento anteriores a 1990, sendo esta uma das medidas que quer ver incluída no Orçamento do Estado para 2022 (OE2022).

A possibilidade de extensão do período transitório do Novo Regime de Arrendamento Urbano (NRAU) dos contratos habitacionais anteriores a 1990, foi avançada no final de agosto pela secretária de Estado da Habitação, Marina Gonçalves, ao Diário de Notícias e ao Jornal de Notícias, defendendo a AIL que tal extensão deverá ser por mais cinco anos.

Recorde-se que este período transitório, criado aquando da entrada em vigor na nova lei das rendas (também chamada de 'Lei Cristas'), foi inicialmente definido em cinco anos, tendo depois sido aumentado para oito anos e posteriormente para 10 anos.

Associação dos Inquilinos Lisbonenses AIL política autoridades locais rendas orçamento de estado
Ver comentários