Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
1

Insuficiência cardíaca leva mais ao hospital

Revela que há menos mortes relacionadas com doenças do aparelho circulatório.
António Miguel e Edgar Nascimento 30 de Setembro de 2017 às 01:30
Mortes associadas a doenças Cérebro-Cardiovasculares
Mortes associadas a doenças Cérebro-Cardiovasculares FOTO: iStockPhoto
Morre-se menos em Portugal devido a doenças do aparelho circulatório, mas há mais internamentos hospitalares por insuficiência cardíaca.

De acordo com os dados do relatório do Programa Nacional para Doenças Cérebro-Cardiovasculares de 2017, apresentado ontem no Hospital de Santa Marta (Lisboa), as mortes associadas às doenças do aparelho circulatório têm diminuído: em 2010, representavam 31,8% das causas de morte, em 2015 eram 29,7%.

No caso do Acidente Vascular Cerebral, registaram-se menos mortes de 2013 (7872) para 2015 (6432). Já no que respeita aos internamentos hospitalares devido a doenças do aparelho circulatório, verificou-se uma quebra de 2011 para 2016, mas nos casos de insuficiência cardíaca, registou-se um aumento: de 15 583 internamentos em 2011 para 18 752 em 2016.

"Esta variação irá provavelmente assumir maior expressão futura atendendo ao envelhecimento progressivo da população", lê-se no relatório.

Em relação ao enfarte agudo do miocárdio, há mais doentes submetidos a angioplastia primária (4220 em 2015, 3179 em 2011) e a angioplastia percutânea (13 919 em 2015, 13 005 em 2011). Em 2016, a Via Verde do AVC registou 3386 casos encaminhados. "Os resultados são muito positivos", considerou Fernando Araújo, secretário de Estado Adjunto e da Saúde.
Ver comentários