Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
3

“Justiça tem de dar o exemplo”: Manifestantes pedem responsabilidades no fogo que matou 73 animais

Cerca de 30 pessoas juntaram-se na praça do Marquês, no Porto, para reclamar punições pelo incêndio mortal de Santo Tirso.
Nelson Rodrigues 12 de Setembro de 2021 às 09:20
Manifestantes juntaram-se na praça do Marquês, no Porto, para reclamar punições pelo incêndio mortal de Santo Tirso
Manifestantes juntaram-se na praça do Marquês, no Porto, para reclamar punições pelo incêndio mortal de Santo Tirso FOTO: Nelson Rodrigues
Cerca de 30 pessoas manifestaram-se, este sábado de manhã, na praça do Marquês, no Porto, a exigir responsabilidades pelo incêndio que matou 73 animais - 69 cães e quatro gatos -, a 18 de julho do ano passado, na serra da Agrela, em Santo Tirso.

"Passou um ano e continua tudo igual. As donas dos dois abrigos ilegais ainda nem constituídas arguidas foram. Fazem uma vida normal e devem continuar a recolher animais", referiu Sandra Silva, uma das manifestantes.
O processo encontra-se parado no Tribunal de Santo Tirso.

"Toda a gente sabia dos maus-tratos àqueles animais: entidades, câmara e veterinário. Ninguém fez nada. Foi preciso acontecer uma tragédia. Agora, não basta ter pena. A Justiça tem de dar o exemplo, mas a nossa Justiça não faz nada, mesmo havendo uma lei de proteção animal", sublinhou Georgina Silva, responsável de uma associação de defesa dos animais.

Os manifestantes pedem maior rapidez na investigação ao caso. "As donas dos abrigos permanecem impunes. Nada paga a vida destes animais. Mesmo que elas sejam condenadas, nada os trará de volta", referiu Ana Costa. Do fogo, foram ainda resgatados com vida mais de 190 animais. "Alguns ainda não recuperaram. Não são sociáveis e demonstram medo, o que é sinónimo de maus-tratos", contou Sandra Silva.
Ver comentários