Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
3

Lojas vazias, hotéis fechados e caminhos tapados. Uma peregrinação em Fátima como nunca se viu

Celebração do 13 de maio será "atípica" face à pandemia da covid-19.
Correio da Manhã 12 de Maio de 2020 às 12:52
Santuário de Fátima
Santuário de Fátima
Santuário de Fátima
Santuário de Fátima
Santuário de Fátima
Santuário de Fátima
Santuário de Fátima
Santuário de Fátima
Santuário de Fátima
A peregrinação internacional de maio começa esta terça-feira à noite, em Fátima, naquela que será uma celebração "atípica" face à pandemia da covid-19, não contando com peregrinos pela primeira vez na sua história.

A peregrinação, que decorre esta terça-feira e quarta-feira, vai realizar-se, de forma inédita, sem peregrinos no recinto do Santuário de Fátima, na sequência das decisões do Governo face à pandemia da covid-19.

As celebrações, que começam às 21h30 desta terça-feira, vão contar apenas com a presença de pessoas diretamente implicadas nos diferentes momentos celebrativos e, a somar-se aos apelos do Santuário às pessoas para ficarem em casa, a GNR está desde sábado a impedir o acesso de peregrinos a Fátima.

Um forte dispositivo policial estará esta terça-feira e quarta-feira em Fátima para garantir que ninguém entra no santuário mariano na primeira peregrinação aniversária do ano. Foram duas zonas de segurança, uma em torno do recinto de oração e outra envolvendo praticamente toda a cidade.

A operação, que envolve 3200 militares da GNR, em várias valências (apeados, a cavalo, com cães e da unidade de intervenção), é alargada a outros locais, como a aldeia de Aljustrel, onde nasceram os três videntes - Lúcia e os primos Francisco e Jacinta Marto -, a Via Sacra e os Valinhos, local onde ocorreu a aparição de agosto.

Na principal autoestrada do País (A1) e em todas as estradas que dão acesso à Cova da Iria estarão brigadas da GNR para dissuadir todos os que insistam em chegar ao local das aparições da Senhora da Fátima aos pastorinhos.

Face à situação "atípica", o Santuário de Fátima pediu aos peregrinos que, não podendo estar presentes, peregrinem "com o coração", desafiando-os a acender uma vela na noite desta terça-feira, nas janelas das suas casas, por forma a repetir "um dos gestos mais icónicos de Fátima".

A peregrinação de maio vai decorrer a partir da Capelinha das Aparições, com transmissão em www.fatima.pt, assim como no canal de Youtube e na página de Facebook do Santuário.

Após a oração do rosário, seguir-se-á a Procissão de Velas, desta feita num trajeto mais curto.

No dia 13, quarta-feira, a oração do rosário começa às 09h00, na Capelinha das Aparições, seguindo-se a celebração da missa, presidida pelo cardeal António Marto, bispo de Leiria-Fátima, terminando as celebrações com a Procissão do Adeus.

A ausência de peregrinos no Santuário de Fátima durante a celebração do 13 de maio tem efeitos nefastos em todo o tecido económico da região, nomeadamente no comércio e no setor hoteleiro. Restaurantes fechados, hotéis vazios e lojas sem clientes resultam, só em maio e segundo a Associação Empresarial de Ourém, num prejuízo superior a oito milhões de euros.

Santuário de Fátima GNR Capelinha Aparições religião acontecimento religioso questões sociais
Ver comentários