Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
3

Madeira com ocupação hoteleira de 62% devido à Festa da Flor

Esta festividade é um dos maiores cartazes turísticos da ilha e ocorre normalmente em maio.
Lusa 30 de Setembro de 2021 às 16:32
Ilha da Madeira. Vista do Miradouro Cabo Girão
Ilha da Madeira. Vista do Miradouro Cabo Girão FOTO: Ágata Xavier / Sábado
A Festa da Flor na Madeira retoma este ano o molde tradicional, com animação de rua e cortejo alegórico com 1 200 participantes, já no domingo, indicou esta quinta-feira o secretário de Turismo e Cultura, referindo que a ocupação hoteleira ronda 62%.

"O que nós pretendemos, acima de tudo, é recuperar a normalidade destas comemorações", disse Eduardo Jesus, reforçando: "Queríamos voltar em força e isso significa com animação reforçada, que é o que mais cativa a população da região e os turistas".

O governante falava na conferência de apresentação do programa da Festa da Flor, no Funchal, um dos maiores cartazes turísticos da Madeira, que habitualmente ocorre no mês de maio, mas que este ano foi transferido para outubro devido à pandemia de covid-19.

O Governo Regional, de coligação PSD/CDS-PP, investiu 755 mil euros no evento, que decorre entre 01 e 24 de outubro, assinalando que houve um "contributo forte no reforço da animação", com a promoção de 74 atuações musicais e a recuperação do cortejo alegórico, no domingo, nas avenidas marginais do Funchal.

Para aceder às bancadas ou aos recintos fechados, no âmbito da Festa da Flor, as pessoas são obrigadas a apresentar teste rápido negativo para covid-19.

"Depois de consultada a autoridade regional de saúde, foi definido que o acesso aos espaços para assistir ao cortejo e aos concertos tem de respeitar o que está em vigor no que diz respeito à imposição do teste antigénio feito nas 48 horas antes", esclareceu Eduardo Jesus.

E acrescentou: "Nos espaços não ocupados pelas bancadas, apelamos ao bom senso das pessoas, para que haja o distanciamento possível e o uso da máscara".

O governante madeirense disse que a ocupação hoteleira estimada -- 62% -- sinaliza já a retoma do setor, fortemente afetado pela pandemia em 2020, quando a ocupação foi de apenas 29,4% no período da Festa da Flor.

"Voltamos a ter números quase comparáveis com os de 2019, que, na data certa [mês de maio], atingiram os 77%", sublinhou.

Eduardo Jesus explicou que o adiamento do evento para outubro está relacionado com a previsão do executivo regional sobre a vacinação, que apontava para que a imunidade de grupo fosse atingida no final de setembro, com 85% da população inoculada.

Dados divulgados pela Direção Regional de Saúde indicam que 83% dos residentes na região autónoma já têm o esquema vacinal completo.

A Festa da Flor é marcada por vários pontos altos, como a construção do Muro da Esperança com flores colocadas por crianças, no sábado; o cortejo alegórico, com a participação de 12 grupos e 1.200 figurantes, no domingo; os Concertos da Flor, de 14 a 17 de outubro; e o Madeira Flower Collection, uma iniciativa de promoção do setor da moda regional, a 16 e 17 de outubro.

Ver comentários