Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
9

Madeira investe 3 milhões de euros em testes rápidos à Covid-19 e avança com testagem massiva da população

Do total de 65 farmácias da região, 26 aderiram ao projeto, que estará em vigor até 31 de dezembro.
Lusa 23 de Abril de 2021 às 14:35
Teste rápido à Covid-19
Teste rápido à Covid-19 FOTO: Getty Images
O Governo da Madeira investiu três milhões de euros na aquisição de 200 mil testes rápidos de covid-19 para proceder à testagem massiva da população do arquipélago a partir de segunda-feira, indicou hoje o executivo.

"Esta testagem maciça será um dos fatores determinantes para podermos ter conhecimento da realidade epidemiologia e, simultaneamente, podermos depois tomar as decisões em conformidade com aquilo que é o mundo real", afirmou o chefe do governo insular, Miguel Albuquerque.

O governante falava na cerimónia de assinatura de um protocolo entre a região autónoma e a Associação Nacional de Farmácias, no Funchal, responsável pela testagem gratuita de todos os cidadãos com mais de 16 anos que estiverem interessados em fazer o teste à covid-19, residentes no arquipélago. Cada cidadão poderá fazer um teste a cada 14 dias.

Do total de 65 farmácias da região, 26 aderiram ao projeto, que estará em vigor até 31 de dezembro.

"O Governo Regional, em todo este processo, desde o início, não tem atuado de forma isolada", disse Miguel Albuquerque, sublinhando o papel "ativo e determinante" das farmácias na prevenção e combate à doença.

O combate à pandemia, acrescentou, "só se pode fazer com concertação e entendimento entre todos os parceiros ativos da sociedade e com a população."

O presidente da Associação Nacional de Farmácias, Paulo Cleto, salientou, por seu lado, a "competência estratégica" e a "competência na ação" manifestada pelo governo da Madeira e garantiu que os profissionais de farmácia têm capacidade para assegurar o serviço de testagem em segurança.

A bastonária da Ordem dos Farmacêuticos, Ana Paula Martins, também interveio na cerimónia, dizendo que, na Madeira, a pandemia "não venceu", porque as autoridades "andaram à frente do vírus".

"Aquilo que aqui vimos foi coragem, foi estratégia, foi colaboração e foi confiança", declarou, considerando que todos em Portugal devem "olhar a Região Autónoma da Madeira como um exemplo destas quatro dimensões, que fazem dos homens vencedores no futuro".

De acordo com os dados mais recentes da Direção Regional de Saúde, o arquipélago, com cerca de 260 mil habitantes, regista 266 casos ativos de infeção por SARS-CoV-2, num total de 8.801 confirmados desde o início da pandemia e 71 óbitos associados à doença.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.073.969 mortos no mundo, resultantes de mais de 144,6 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.956 pessoas dos 832.891 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Ver comentários