Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
3

Mais de 5.500 senhas distribuídas hoje nas lojas do cidadão

Ao longo do dia registaram-se filas em várias locais. Na Loja do Cidadão das Laranjeiras as senhas esgotaram antes do meio-dia.
Lusa 3 de Outubro de 2021 às 00:00
Mais de 5.500 senhas de atendimento foram hoje distribuídas nas Lojas do Cidadão, no primeiro dia de "Casa Aberta" para renovação do cartão do cidadão e passaporte, de acordo com a secretária de Estado da Modernização Administrativa.

Segundo Maria de Fátima Fonseca, em declarações à Lusa pelas 21h00, foram disponibilizadas este sábado "mais de 5.500 senhas de atendimento para as nove Lojas do Cidadão [de Portugal] e o balcão do IRN [Instituto dos Registos e Notariado] no Campus de Justiça, em Lisboa".

A chamada modalidade "Casa Aberta" consiste em manter, durante hoje e nos próximos sete sábados, algumas Lojas do Cidadão abertas com um horário alargado, entre as 09:00 e as 22:00, para levantamento e renovação do cartão de cidadão ou do passaporte.

Ao longo do dia de hoje registaram-se filas em várias Lojas do Cidadão e houve locais, como a Loja do Cidadão das Laranjeiras, onde as senhas esgotaram antes do meio-dia.

A secretária de Estado referiu que, "em termos de procura", houve, "naturalmente, maior pressão durante a manhã", salientando que "há cerca de meia hora [pelas 20:30]" ainda se estava "a disponibilizar senhas em Marvila [Loja do Cidadão em Lisboa], por exemplo".

"E também em outras duas ou três lojas não esgotámos o número total de senhas previstas para essas lojas, ou seja, a capacidade de atendimento", afirmou Maria de Fátima Fonseca.

As senhas são diárias, pelo que podiam ser utilizadas hoje, até às 22:00.

"As pessoas estão nos locais, serão atendidas, as coisas estão a funcionar", disse pelas 21:00, acrescentando que os números de atendimento serão divulgados depois do encerramento dos balcões.

Questionada sobre um possível prolongamento do funcionamento dos balcões, a governante afirmou que "as portas serão encerradas às 22:00" e que, "neste momento [pelas 21:00], não é expectável que isso [alguém com senha não ser atendido hoje] venha a suceder".

Salientando que "os trabalhadores têm sido inexcedíveis ao longo de todo este dia", a secretária de Estado recordou que "este é apenas o primeiro dos oito sábados" de "Casa Aberta" e que "estes serviços de cartão do cidadão e passaporte estão disponíveis durante a semana também".

A medida "Casa Aberta" visa ajudar a regularizar os casos em atraso até ao final do mês e recuperar algum do tempo perdido devido ao encerramento das Lojas do Cidadão por causa da pandemia da covid-19.

Em declarações à Lusa hoje à tarde, Maria de Fátima Fonseca recordou que os utentes que pretendem renovar os documentos podem optar pelas senhas 'online'.

"O que nós estamos a recomendar é que de facto as pessoas acedam o mais possível à senha 'online' que está disponível no mapa cidadão onde aliás também podem verificar a disponibilidade de senhas em cada uma das lojas que fazem parte desta operação", realçou.

Hoje de manhã, por volta das 11:00, o sentimento geral junto à Loja do Cidadão das Laranjeiras, em Lisboa, era de descontentamento, com as pessoas que chegavam por volta daquela hora a depararem-se com a impossibilidade de tratar dos documentos, por já não haver senhas, constatou a Lusa no local.

A modalidade "Casa Aberta" vai estar disponível em quatro lojas na área de Lisboa -- Laranjeiras, Saldanha, Marvila e Odivelas --, duas na área do Porto -- Porto e Vila Nova de Gaia --, e em Coimbra, Braga e Faro, além dos balcões de atendimento ao público do Instituto de Registos e Notariado (IRN), no Campus da Justiça de Lisboa.

Ver comentários