Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Município de Cantanhede reabilita rede de saneamento na freguesia da Tocha

Autarquia refere que a obra tem como objetivo "melhorar o desempenho hidráulico e estrutural da conduta, de modo a garantir a estanquidade e a operacionalidade do sistema de drenagem.
Lusa 9 de Maio de 2021 às 11:50
Saneamento
Saneamento
A Empresa Municipal de Desenvolvimento Económico e Social de Cantanhede (INOVA-EM), está a proceder à reabilitação da rede de saneamento da freguesia da Tocha, no âmbito de uma empreitada adjudicada pelo valor de 208.663 euros, foi anunciado este domingo.

Segundo a Câmara Municipal de Cantanhede, no distrito de Coimbra, a intervenção abrange a "reabilitação da rede de saneamento nos Inácios, incluindo o emissário instalado no CMRRC-Rovisco Pais [Centro de Medicina de Reabilitação da Região Centro - Rovisco Pais], na freguesia da Tocha".

Em comunicado enviado à agência Lusa, a autarquia refere que a obra tem como objetivo "melhorar o desempenho hidráulico e estrutural da conduta, de modo a garantir a estanquidade e a operacionalidade do sistema de drenagem e, assim, contribuir para a redução de afluências indevidas e, consequentemente, dos custos operacionais".

A fonte indica que "além da reabilitação da rede de saneamento nos Inácios, a INOVA-EM está a realizar intervenções idênticas nas redes da Pocariça, Arrôtas, Cantanhede e Balsas, estando previsto para breve o início de mais empreitadas para esse fim, nomeadamente nos sistemas coletores de Vilamar e Corticeiro de Cima".

"Com uma parte significativa das redes de saneamento ligadas ao sistema multimunicipal em alta sob gestão da empresa Águas do Centro Litoral, S.A., que assegura a drenagem dos efluentes para a ETAR [Estação de Águas Residuais] de Ílhavo, a INOVA-EM tem concentrado esforços na renovação nas redes de recolha de águas residuais domésticas e tem vindo a proceder a inspeções vídeo dos coletores e a ensaios das ligações domiciliárias", lê-se no comunicado.

De acordo com a autarquia, a referida medida tem em vista "a otimização do funcionamento dos sistemas e a redução dos volumes dos caudais, os quais, como é do conhecimento público, são gravemente afetados por infiltrações e descargas indevidas de águas pluviais".

"Para contrariar esse tipo de ocorrências a INOVA-EM tem insistido na necessidade de as intervenções realizadas para esse efeito serem acompanhadas da eliminação das descargas de águas pluviais com origem nos prédios com redes prediais ligadas ao sistema público", adianta.

O município de Cantanhede sublinha que a empresa municipal "tem apelado reiteradamente aos utilizadores para que verifiquem as respetivas redes prediais e eliminem eventuais ligações de caleiras, terraços e outras eventuais situações anómalas que provoquem descargas de águas pluviais ou infiltrações de águas dos solos na rede pública de saneamento".

Com cerca de 550 quilómetros de coletores instalados em todo o concelho e um grau de cobertura da população próximo dos 100%, a INOVA-EM é responsável pelo tratamento e descarga dos esgotos que não entrega no sistema em alta da Águas do Centro Litoral.

ASR // VM

Lusa/Fim

Ver comentários