Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
6

Não há "incentivos nenhuns à retenção" de enfermeiros, diz Ordem

Portugal está "a exportar enfermeiros para o estrangeiro", lamenta Ana Rita Cavaco.
Lusa 12 de Outubro de 2021 às 16:15
A Ordem dos Enfermeiros considera que o Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) "não tem incentivos nenhuns à retenção" destes profissionais de saúde em Portugal, que vê "metade" dos formados emigrarem para outros países.

"Não tem incentivos nenhuns à retenção, nem vejo lá onde é que possa caber, em termos de dinheiro, alguma coisa para formação especializada de enfermeiros, para valorização ou melhoramento das condições de trabalho que temos", assinala a bastonária dos Enfermeiros, em declarações à Lusa, via telefone.

Portugal está "a exportar enfermeiros para o estrangeiro", está "a gastar dinheiro, como país, para que os outros países depois venham cá buscá-los com ofertas muito boas", lamenta Ana Rita Cavaco, lembrando que são formados anualmente "cerca de três mil enfermeiros", que "depois não são contratados" e "mais de metade emigram", porque o Estado "nem abre concursos".

Ordem dos Enfermeiros Enfermeiros OE2022 Estado Portugal saúde profissionais de saúde orçamento de estado
Ver comentários