Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
5

Olivais superintensivos unem ambientalistas

É o único elemento negativo referido em comum por Quercus e Zero no balanço do ano.
Bernardo Esteves 30 de Dezembro de 2019 às 08:35
Os olivais superintensivos no Alentejo estão na mira das associações ambientalistas portuguesas
Os olivais superintensivos no Alentejo estão na mira das associações ambientalistas portuguesas FOTO: Lusa
As associações ambientalistas Quercus e Zero criticam a aposta nos olivais superintensivos, sendo este o único ponto negativo em comum nos balanços que ambas fizeram do ano de 2019.

A Quercus aponta o dedo à "morte de 70 mil a 100 mil aves" provocada pela "apanha noturna" nestes olivais. Já a Zero critica "o descontrolo na intensificação agrícola no regadio no Alentejo", avisando que não se estão a acautelar "impactes ambientais  e sociais". No resto divergem.

A Quercus elege como elementos negativos de 2019 a seca no Alto Tejo, devido à má gestão espanhola da barragem de Cedillo, que esvaziou os rios Pônsul e Sever; a corrida à mineração de lítio e o risco de impactes ambientais e sociais; e a seca e as alterações climáticas no País, com mais de 87% do território em seca meteorológica a 31 de outubro.

Já a Zero considera negativa "a decisão praticamente concluída de avançar com o Aeroporto do Montijo sem avaliação ambiental estratégica", apontando o dedo à "falta de independência" da Agência Portuguesa do Ambiente; critica as dragagens no rio Sado para alargamento da capacidade do porto de Setúbal, com riscos ambientais; e questiona o próximo modelo de cogestão das autarquias nas áreas protegidas.

Redução no preço dos transportes
Quercus e Zero apontam a redução do preço dos transportes públicos como facto positivo do ano. A Zero destaca ainda pela positiva a antecipação para 2023 do fecho das centrais termoelétricas a carvão. Já a Quercus enaltece o cancelamento da construção da barragem de Fridão.

Greta Thunberg é um dos factos positivos
O movimento estudantil internacional pelo clima, inspirado na jovem sueca Greta Thunberg, foi, para a Quercus, um dos melhores factos ambientais de 2019. A Zero elogia a nova legislação na área dos resíduos de plástico, que aponta para uma redução nos próximos anos.

PORMENORES
Mata Nacional de Leiria
A recuperação lenta da Mata Nacional de Leiria, após o fogo de 2017, é criticada pela Quercus, que aponta o abate de árvores devido à lei das limpezas.

Edifícios com amianto
A Zero denuncia a falha do Governo em revelar quais os edifícios com amianto e aponta o fiasco na redução de resíduos de equipamentos elétricos.


Quercus Zero Greta Thunberg Mata Nacional de Leiria ambiente políticas ambientais
Ver comentários