Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Professor da Universidade de Aveiro confirma ser homofóbico e ironiza situação

Docente comparou gays a “lixo” e chama campanhas LGBT+ de "bosta".
Aureliana Gomes 2 de Julho de 2022 às 10:09
Docente chama LGBT de “organização terrorista”
Docente chama LGBT de “organização terrorista”
Com certeza que sou homofóbico, se é crime, façam queixa à polícia e prendam-me." Paulo Lopes, o professor da Universidade de Aveiro alvo de uma polémica após uma publicação nas redes sociais, em que compara os gays a "lixo humano", veio agora confirmar ser homofóbico.

Em entrevista à CNN, o docente de Física vai mais longe e diz que há muitas coisas que "se resolvem com violência". A situação está a deixar a comunidade escolar desconfortável e a lamentar a postura da reitoria. Sobre as críticas, o professor desvaloriza e apelida a comunidade LGBT de "organizações terroristas". "Isso é a lengalenga deste tipo de gente e deste tipo de ideologia", disse.

O professor já tinha sido alvo de um inquérito há um ano na instituição por ter divulgado várias mensagens de teor discriminatório e racista. Paulo Lopes desvaloriza e ameaça. "Eu já os adverti e disse que se eles próprios me continuassem a assediar, seriam alvo de um processo-crime porque estou aqui a desempenhar o meu papel profissional e não quero ser incomodado por questões ideológicas", lembrou.

Um grupo de alunos prepara uma ação de protesto.
Paulo Lopes questões sociais crime lei e justiça política
Ver comentários
}