Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
9

Reclusos, guardas e funcionários de prisões não constam no grupo prioritário da vacina contra a gripe, alerta APAR

Associação Portuguesa de Apoio ao Recluso diz que a única privação que existe nas prisões é a de "liberdade".
Correio da Manhã 22 de Outubro de 2021 às 16:37
Vacina da gripe
Vacina da gripe

A Associação Portuguesa de Apoio ao Recluso (APAR) mostrou-se esta sexta-feira indignada com o facto de os detidos, os guardas prisionais e os funcionários das prisões não terem sido incluídos nos grupos prioritários na toma da vacina contra a gripe.

Em comunicado, o presidente da APAR, Diogo Cabrita, refere que a DGS deixa "os reclusos fora da prioridade" e considera que a medida é estranha, visto que, os presos são em grande medida "pessoas com debilidades físicas".

A Associação Portuguesa de Apoio ao Recluso afirma ainda que a única privação que existe nas prisões é a de "liberdade"  e nunca "a privação de cuidados de saúde".

Associação Portuguesa de Apoio ao Recluso APAR questões sociais saúde
Ver comentários