Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Risco de transmissão da Covid-19 dispara em Lisboa

Sete dos 22 concelhos em alerta são da região de Lisboa e Vale do Tejo. A capital fica à porta do novo desconfinamento.
João Saramago 12 de Junho de 2021 às 01:30
A carregar o vídeo ...
Risco de transmissão da Covid-19 dispara em Lisboa
Lisboa representa a maior preocupação junto das autoridades de saúde como foco difusor de novos casos de Covid-19. A capital regista 222 casos por cem mil habitantes a 14 dias, com uma tendência crescente desde há cinco semanas. Diferente é a situação no Porto: 76 casos por cem mil pessoas. Regista-se, no entanto, uma subida, mas apenas há uma semana.

Quinze dias consecutivos com mais de 240 casos levará a capital a recuar no desconfinamento, com restrições no horário do comércio. "Estamos em risco", diz a endocrinologista Sílvia Saraiva. A evolução dos dados revela que "estamos a colocar em questão todo o plano de vacinação a médio e longo prazo", acrescentou.

A subida de novos casos conduz a um número crescente de internamentos. Os dados esta sexta-feira divulgados pela DGS voltam a colocar mais de três centenas de pessoas nos hospitais por Covid-19. É o valor mais alto desde 3 de maio, quando estavam internadas 322 pessoas.

Seis hospitais da Grande Lisboa concentram a maior parte destes doentes, num total de 143. Em Lisboa, o Centro Hospitalar Lisboa Central, que integra o São José, soma 38 internados. Lisboa Norte (Santa Maria) conta 28 casos de Covid-19 e Lisboa Ocidental (São Francisco Xavier) tem 11 pacientes. Em Almada, no Garcia de Orta, estão internados 22 doentes, no Fernando Fonseca (Amadora) 25, e no Beatriz Ângelo (Loures) 19. A vacinação da maior parte da população de maior idade leva a que a média de idades dos internados tenha descido de 70 para os 50 anos.

Quanto às variantes em território nacional, a DGS e o INSA dizem que a Alpha, associada ao Reino Unido, é a mais presente (88,4%). As variantes Beta (associada à África do Sul), Gamma (associada a Manaus, no Brasil) e Delta (associada à Índia) foram identificadas, respetivamente, em 111, 142 e 92 casos. A variante Delta tem uma transmissão comunitária mais evidente na região de Lisboa e Vale do Tejo.

Entradas na lista de risco
Sesimbra, Monforte, Arruda dos Vinhos, Aljezur, Santarém, Albufeira, Cascais, Sintra, Vila Verde, Alcanena, Vimioso e Loulé são os concelhos que entram na lista de risco.

Festas originam 9 surtos
Há nove surtos na região de Lisboa e Vale do Tejo que resultam de casamentos e festas familiares. Os surtos provocaram 194 casos confirmados e envolvem mais de mil pessoas. O surto de maior dimensão teve origem numa festa de aniversário.

Alerta em 22 concelhos
Há 22 concelhos em alerta por contarem com mais de 120 casos por cem mil habitantes. Destes, sete na região de Lisboa e Vale do Tejo e quatro no Norte.

Apontada limitação a AstraZeneca
A Agência Europeia de Medicamentos desaconselha a vacina da AstraZeneca a pessoas com coagulopatias ou distúrbios hemorrágicos. O aparecimento de coágulos é um efeito raro da vacina.

120 casos por 100 mil entre 15 e 30 dias
Portugal poderá atingir a linha vermelha dos 120 casos por cem mil habitantes entre 15 e 30 dias, segundo o relatório de monitorização semanal do INSA e da DGS, esta sexta-feira divulgado.
Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Ver comentários