Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
9

TAP confirma caso único de comunicação da suspensão de contratos fora da base

Transportadora adianta ainda que "neste momento, todos os pilotos já receberam as respetivas comunicações, estando a fase de convocatórias terminada".
Lusa 11 de Maio de 2021 às 22:57
TAP
TAP FOTO: Miguel Baltazar
A TAP confirmou esta terça-feira um caso único de comunicação da suspensão de contratos de pessoal tripulante fora da base, concluída a fase de convocatórias para redução do quadro da transportadora aérea.

O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) denunciou esta terça-feira, numa carta a que Lusa teve acesso, que alguns profissionais foram informados da suspensão do contrato pela TAP quando estavam prestes a iniciar voos, pondo em causa a segurança.

Em reação à Lusa, a TAP afirma que "houve um único caso em que um piloto recebeu uma comunicação dos recursos humanos fora da base, por lapso, uma vez que o procedimento é não enviar comunicações para tripulantes fora da base".

"A situação que ocorreu foi prontamente identificada, e existiu de imediato um esforço das áreas envolvidas para identificar a causa do erro e reforçar o processo para que não voltasse a repetir-se", disse ainda a empresa, reforçando que "segurança é um valor fundamental que não deve ser posto em causa".

A transportadora adianta ainda que "neste momento, todos os pilotos já receberam as respetivas comunicações, estando a fase de convocatórias terminada".

A segunda fase das medidas voluntárias da TAP, que decorreu entre 11 e 16 de abril, contou com 122 adesões confirmadas, de acordo com uma nota interna enviada aos colaboradores, a que a Lusa teve acesso.

Anteriormente, na primeira fase de candidaturas, que decorreu entre 11 de fevereiro e 24 de março, "das 690 adesões previamente comunicadas, concretizaram-se 669, com um impacto no redimensionamento de cerca de 630 postos de trabalho", recordou a transportadora, na mesma missiva.

Na missiva do SPAC, enviada ao presidente do Conselho de Administração da transportadora, Miguel Frasquilho, e ao presidente da Comissão Executiva, Ramiro Sequeira, a estrutura sindical disse que foi informada de que "os RH [Recursos Humanos] da TAP, no contexto de redução do quadro de pilotos, suspenderam o contrato de trabalho de associados" do SPAC "enviando-lhes o respetivo 'email' quando estes se encontravam fora da base, prestes a iniciar os seus voos de regresso a Portugal".

No dia 22 de abril, o SPAC repudiou o comportamento dos Recursos Humanos da TAP, por estarem a convocar "aos poucos" os pilotos para medidas de reestruturação, o que gera "ansiedade" e compromete a segurança de voo. 

TAP SPAC Lusa Recursos Humanos economia negócios e finanças Informação sobre empresas transportes aviação
Ver comentários