Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
6

Trabalhadores da Super Bock fazem greve para contestar imposição da adaptabilidade de horário

Segundo o dirigente do sindicato, os primeiros efeitos da greve deverão sentir-se no fim de semana da Páscoa.
Lusa 29 de Março de 2021 às 22:00
Greve dos trabalhadores da Super Bock em Leça do Balio após despedimento coletivo
Greve dos trabalhadores da Super Bock em Leça do Balio após despedimento coletivo FOTO: CMTV
Os trabalhadores da fábrica da Super Bock, em Leça do Balio, decidiram hoje fazer greve aos fins de semana, feriados e horas extraordinárias para contestar a imposição da adaptabilidade e banco de horas por parte da empresa.

"O plenário de trabalhadores tomou esta decisão porque estes não aceitam o recurso ilegal à adaptabilidade de horário pela empresa, que está a aplicar escalas que não estão reguladas, tentando manter a laboração continua de uma forma mais barata", disse à agência Lusa José Eduardo Andrade, dirigente do Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura e das Indústrias de Alimentação, Bebidas e Tabacos de Portugal (SINTAB).

Segundo o sindicalista, em junho de 2020, a pretexto da pandemia, a Super Bock propos a antecipação do fim do acordo de laboração contínua na área fabril, o que representou "uma perda substancial de rendimentos aos trabalhadores".

Com o fim do acordo, que só deveria terminar em abril de 2021, só metade dos trabalhadores estão obrigados à laboração continua, os restantes, embora trabalhem por turnos, não são obrigados a fazer fins de semana e feriados.

Por isso, optaram por marcar greve para esses períodos, para ficarem devidamente salvaguardados e poderem recusar-se a trabalhar nesses dias ou a fazerem horas extraordinárias.

"É que a empresa está também a tentar impor 42 horas de trabalho semanal quando é preciso, sendo o horário de 39 horas, criando um banco de horas ilegal, e dispensando os trabalhadores quando não são tão necessários, dado que a produção tem o seu pico no verão", disse José Andrade.

Perante a indisponibilidade dos trabalhadores, a Super Bock decidiu implementar unilateralmente a partir do dia 01 de abril horários e escalas que vão penalizar os funcionários, referiu ainda o dirigente do SINTAB.

Segundo o sindicalista, os primeiros efeitos da greve deverão sentir-se no fim de semana da Páscoa.

Super Bock Leça do Balio economia negócios e finanças trabalho sindicatos
Ver comentários