Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Treinador de natação de Leiria diz que rapar o cabelo é “inclusão”

João Paulo Fróis explica que praxes são feitas "por iniciativa dos atletas mais velhos".
Isabel Jordão 29 de Setembro de 2022 às 01:30
Paulo Fróis entre dois dos atletas praxados, durante a competição que decorreu no fim de semana do 10 de junho
Paulo Fróis entre dois dos atletas praxados, durante a competição que decorreu no fim de semana do 10 de junho FOTO: Direitos Reservados
O treinador de natação de Leiria que está suspenso por causa de uma praxe a um atleta de 14 anos, abandonado em Espanha após recusar aderir, reagiu esta quarta-feira em comunicado, afirmando que o "corte de cabelo" é "uma atividade de inclusão dos atletas mais novos na equipa em vigor na maioria dos clubes de natação do País para os atletas que pela primeira vez participam em competições nacionais ou internacionais".

João Paulo Fróis explica que é feito "por iniciativa dos atletas mais velhos", mas no caso em concreto foi ele que afirmou que "ninguém saía dali sem o cabelo rapado" e o corte de cabelo foi executado por um dos treinadores e não por atletas.

Alega que "o assunto tem vindo a ser tornado público de forma distorcida e falsa", nega ter "alinhado e incentivado qualquer violência psicológica" ou "promovido a humilhação pública" do atleta, e diz ser "falso" que o "tenha abandonado"em Espanha. Não explica em que circunstâncias o deixou no parque de estacionamento nem porque o excluiu do grupo.
Leiria Espanha País desporto questões sociais natação deficientes
Ver comentários