Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
6

Um milhão de portugueses atrasados na vacina contra a Covid-19

Vão receber SMS para vacina quatro meses após infeção ou podem optar pela ‘casa aberta’.
Bernardo Esteves 21 de Maio de 2022 às 01:30
Covid-19
Covid-19 FOTO: NUNO VEIGA / LUSA_EPA

Há 1 milhão de pessoas que ainda não tomaram o reforço da vacina contra a Covid-19, revelou esta sexta-feira a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, lançando um apelo para que recebam agora a terceira dose. "São cerca de 1 milhão de pessoas que se infetaram no inverno, foram impedidas de tomar a vacina de reforço e apelamos a que o façam agora", afirmou à RTP, sublinhando que se trata de pessoas "de todas as faixas etárias".

Estas pessoas só podem receber o reforço se tiverem passado quatro meses desde a data da infeção, esclareceu ao CM fonte da DGS, explicando que os utentes vão receber um SMS para vacinação. Podem também dirigir-se aos centros de vacinação na modalidade ‘casa aberta’. Há ainda a possibilidade de serem contactadas a nível local por SMS ou telefone.

A prioridade da DGS é dar o primeiro reforço a este milhão e continuar a administrar o segundo reforço aos maiores de 80 anos e residentes em lares, estando a ser analisada a possibilidade de alargar também aos maiores de 70. Mas Graça Freitas descarta dar o segundo reforço à população abaixo dos 70 e aos profissionais de saúde, porque admite que as vacinas já não travam a transmissão do vírus. "A vacina atual foi feita com a variante inicial e é muito pouco protetora contra infeção, sobretudo desta linhagem [BA.5] da variante Ómicron, que tem grande capacidade de se transmitir", disse, admitindo que a vacina é apenas "protetora contra formas graves da doença".

A linhagem BA.5 é já predominante em Portugal, representando 63,5% dos casos, segundo o Instituto Ricardo Jorge (INSA). No relatório da pandemia, o INSA revela que os internamentos em Intensivos estão com tendência crescente e subiram de 23% para 33% do limiar crítico de 255 camas ocupadas. A mortalidade específica por Covid-19 também subiu de 26 para os 32,5 óbitos por um milhão de habitantes nos últimos 14 dias. Entre 10 e 16 de maio, o País registou 157 502 infeções, com a incidência a sete dias a situar-se nos 1529 casos por 100 mil habitantes, num aumento de 58%.

PORMENORES
165 surtos em lares
Portugal registava, na última terça-feira, 165 surtos em lares de idosos e 3419 casos, segundo a DGS. Em fevereiro os focos eram 405 e os infetados 12 mil.

Reforço da proteção
A DGS e o INSA recomendam o reforço das medidas de proteção individual e a vacinação de reforço, avisando para uma maior procura de cuidados.

Hospital de S. João não sobe nível de contingência
O Hospital de S. João, no Porto, decidiu não aumentar para o nível 3 de contingência, devido à subida de casos de Covid-19. A unidade tomou a decisão após uma análise feita nos últimos dias. Caso tivesse aumentado, 20% das cirurgias seriam canceladas.

Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Ver comentários
}