Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
3

Variante indiana da Covid-19 cerca Grande Lisboa. Conheça as medidas que entram hoje em vigor

A partir das 15h00 de sexta-feira e até à madrugada de segunda-feira está proibido entrar e sair da Área Metropolitana de Lisboa.
Edgar Nascimento 18 de Junho de 2021 às 01:30
Fiscalização vai ser reforçada nos concelhos da região de Lisboa a partir das 15h00 de hoje
Fiscalização vai ser reforçada nos concelhos da região de Lisboa a partir das 15h00 de hoje FOTO: Lusa
Para "não alastrar" ao País a situação que se vive na Área Metropolitana de Lisboa (AML), o Governo decidiu proibir a circulação de e para os 18 concelhos da AML, entre as 15h00 desta sexta-feira e as 6h00 de segunda-feira, e um reforço da fiscalização na região, incluindo em eventos. "Não é uma medida de controlo de pandemia, é uma tentativa de conter neste território o que estamos a viver em Lisboa", explicou Mariana Vieira da Silva, ministra da Presidência, no final do Conselho de Ministros.

A cidade de Lisboa já tem mais de 300 casos por 100 mil habitantes, anunciou a ministra. "Não é uma cerca sanitária, é uma restrição ao fim de semana", salientou, justificando a medida com a elevada incidência de casos, com uma "prevalência maior" da variante indiana na AML. Nos 18 concelhos abrangidos residem mais de 2,8 milhões de pessoas, de Mafra a Setúbal. Com a nova regra, que não tem data limite, há casos caricatos: por exemplo, quem viva em Castanheira do Ribatejo (Vila Franca de Xira) não pode ir ao Carregado (Alenquer), que fica a 4 quilómetros, mas pode fazer 90 quilómetros e ir passear até Setúbal.

A ministra admitiu que Portugal venha a travar a passagem a uma nova fase de desconfinamento, prevista para se iniciar no dia 28 de junho, face à evolução negativa da situação epidemiológica da Covid-19. "Semanalmente, fazemos a avaliação do ponto de situação a nível nacional e ela afasta-se claramente da zona verde [da matriz de risco], o que significa que para a semana, quando estava prevista uma nova fase de desconfinamento, ela muito dificilmente, com estes números - e se continuarem estes números -, se poderá verificar", afirmou a governante. Mariana Vieira da Silva reconheceu também que a situação da pandemia de Covid-19 é "mais preocupante" do que nas semanas anteriores e indicou a degradação dos indicadores da matriz: incidência, que em Portugal continental subiu para 90,5/100 mil e índice de transmissibilidade (Rt), que é agora de 1,13. O concelho de Sesimbra está já num nível de "maior restrição": os restaurantes fecham às 15h30 no fim de semana. E Sintra, Cascais, Loulé e Albufeira recuam no desconfinamento.

PORMENORES
Sintra retira vídeos
A Câmara de Sintra retirou dos centros de vacinação os vídeos de propaganda da obra feita pela autarquia. O Correio da Manhã denunciou o caso na última terça-feira.

Quatro melhoram
Há quatro municípios que melhoraram os indicadores na última semana e que, por isso, acompanham a maior parte dos concelhos no desconfinamento: Paredes de Coura, Alcanena, Santarém e Vale de Cambra.

Exceções às restrições
As viagens internacionais (do aeroporto de Lisboa) estão incluídas nas exceções à restrição de entrada e saída na AML. Viagens em trabalho ou por motivos de saúde são autorizadas.

Hospitais colocados de prevenção
A ministra da Saúde, Marta Temido, disse esta quinta-feira que os hospitais da região de Lisboa já foram colocados de prevenção, para o caso de ser necessário aumentar as camas nos Cuidados Intensivos.

Canceladas Festas do Colete Encarnado
A Câmara de Vila Franca de Xira anunciou esta quinta-feira o cancelamento da 88.º edição das Festas do Colete Encarnado, que se iriam realizar entre os dias 2 e 4 de julho, devido à situação pandémica.

Lisboa alarga horário dos centros
Os centros municipais de vacinação de Lisboa vão passar a funcionar mais uma hora por dia, a partir de segunda-feira. Em julho, estarão abertos 14 horas/dia (8h00 às 22h00), incluindo fins de semana, anunciou a autarquia.

Segundo dia seguido acima dos mil casos
Desde 25 e 26 de fevereiro que não havia dois dias seguidos com mais de mil casos de Covid-19 em Portugal. Na quarta-feira foram confirmadas 1233 infeções, a maioria (804) na região de Lisboa e Vale do Tejo, depois de se terem registado 1350 no dia anterior. Desde o início do mês, já se registaram em Portugal 12 090 casos (média de 755 por dia), quase tantos como em todo o mês de maio (12 591, média de 406/dia). Ou seja, esta sexta-feira ou amanhã devem ser atingidos os números de maio, quando ainda falta uma semana e meia para o final do mês. O número de casos ativos (26 817) é o mais elevado desde 28 de março.

Os hospitais, nomeadamente em Lisboa e Vale do Tejo, continuam a registar um aumento de internamentos: atualmente há 364 doentes nos hospitais portugueses, o número mais elevado desde 25 de abril. Em Cuidados Intensivos estão 88 doentes (o mais alto desde 2 de maio).

Em 2020, por esta altura do ano e sem vacinas disponíveis, o número de novos casos diários rondava os 300/350. Desde o início da pandemia, o dia que continua a ser o pior em Portugal é 27 de janeiro: 16 432 casos e 303 mortes, dois máximos.

Cinco óbitos em pessoas vacinadas
Do total de quase dois milhões de pessoas já vacinadas em Portugal, 1231 contraíram Covid-19. Destas, houve 26 que precisaram de internamento hospitalar e cinco morreram, segundo dados da Direção-Geral da Saúde. Dos casos de pessoas que contraíram Covid-19 após serem vacinadas, 455 estão na faixa etária dos 80 e mais anos, 98 dos 70 aos 79 e os restantes 678 distribuídos pelas outras faixas etárias. Sobre os óbitos, quatro das cinco mortes ocorreram em pessoas com 80 ou mais anos. Já foram administradas em Portugal quase 6,9 milhões de vacinas, tendo a vacinação completa mais de 2,5 milhões de pessoas.
Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Ver comentários