Covid-19 Universidade de Estrasburgo estudo anticorpos coronavírus