Barra Cofina

Correio da Manhã

Tecnologia
4

Alcácer do Sal: Encontrada sepultura de mulher com 8 mil anos

Investigadores descobriram uma sepultura em Alcácer do Sal de uma mulher jovem, cujo esqueleto tem cerca de oito mil anos. Mas não é o mais antigo encontrado em Portugal.
12 de Julho de 2013 às 01:00
Arqueólogo junto à sepultura mesolítica com o esqueleto encontrado em Alcácer do Sal
Arqueólogo junto à sepultura mesolítica com o esqueleto encontrado em Alcácer do Sal FOTO: DR

A sepultura guardava os ossos de uma mulher do período Mesolítico que, apesar dos vários milhares de anos, encontram-se num estado de conservação bastante bom e numa posição que indicia ter sido alvo de um ritual.

A descoberta foi feita por investigadores da Universidade de Lisboa (UL) e da Universidade de Cantábria, em Espanha, no projeto SADO-MESO, "orientado para a revisão sistemática do Mesolítico e Neolítico do vale do Sado", lê-se num comunicado da UL.

No comunicado lê-se que a sepultura foi identificada esta semana e o esqueleto "parece corresponder a uma mulher jovem, depositada sobre as costas, com as pernas fortemente fletidas", o que “permitirá obter informação detalhada acerca do comportamento funerário destes grupos, das suas atividades rituais".

Daqui para a frente, o achado será submetido a vários testes em laboratório, de ADN, dos "isótopos estáveis de carbono e nitrogénio presentes nos ossos", de "datação de Carbono 14" e de estudos paleopatológicos, adiantam os responsáveis pela descoberta arqueológica.

Estas análises serão feitas em colaboração entre as duas universidades, mas também com a Universidade de Oxford, em Inglaterra, e com o Instituto Max-Planck, na Alemanha.

O MENINO DO LAPEDO

Apesar da sua impressionante idade, o esqueleto encontrado esta semana em Alcácer do Sal não é o nosso parente mais antigo, alguma vez descoberto em Portugal.

Em 1998, no Vale do Lapedo, no concelho de Leiria, foram encontradas pinturas rupestres que suscitaram o interesse da comunidade arqueológica. Após a exploração do vale leiriense, foi encontrado no Abrigo do Vale do Lapedo o esqueleto fossilizado de uma criança que se acredita ter vivido há 24 500 anos.

Denominado “Menino do Lapedo”, mesmo não sendo possível conhecer o sexo do esqueleto de 90 centímetros, após anos de estudo das ossadas não é possível saber a sua origem. A dúvida se pertenceria a uma espécie Neandertal ou se foi o resultado da mistura de um ‘Homo neanderthalensis’ com um ‘Homo Sapiens’, ainda persiste.

O “Menino do Lapedo” é também o esqueleto mais antigo encontrado na Península Ibérica.

Ver comentários