Barra Cofina

Correio da Manhã

Tecnologia

Novo iOS 14.5 já está disponível para iPhones e permite reconhecimento facial com máscara (mas só para alguns)

No mais recente sistema operativo da Apple o utilizador pode 'travar' o rastreamento das suas informações feito pelas 'apps'.
Pedro Zagacho Gonçalves(pedrogoncalves@cmjornal.pt) 26 de Abril de 2021 às 20:40
iPhone 12 e iPhone 12 Pro
iPhone 12 e iPhone 12 Pro FOTO: Direitos Reservados

Já está disponível para atualização o mais recente sistema operativo para smartphones da Apple, o iOs 14.5, assim como o iPad OS 14.5.

Normalmente as versões .x dos sistemas operativos dos iPhones merecem pouco destaque, mas acontece que esta nova versão traz uma série de novidades que os fãs da marca da maçã não vão querer perder, em termos de recursos, funcionamento e privacidade dos utilizadores.

A maior das novidades resolve aquele drama que muitos descobriram com o início da pandemia: o desbloqueio por reconhecimento facial que deixou de funcionar com a chegada das máscaras de proteção contra a Covid-19. O novo iOs já permite utilizar a funcionalidade de FaceID para desbloquear o iPhone mas com um senão: é necessário que o utilizador tenha também o Apple Watch consigo.

A outra grande novidade é que, agora, os donos de iPhones podem limitar as informações que querem ou não partilhar com Apps como o Facebook, o Instagram, o TikTok, WhatsApp, ou outras que tais.

O rastreamento feito ‘à socapa’ por estas aplicações, de dados como a localização do utilizador, são agora controlados pelo que a Apple chama de App Tracking Trasnparency (ATT, em Português, Transparência de Rastreamento de Apps). Assim, agora o dispositivo pergunta se o utilizador permite ou não que determinada aplicação rastreie a sua atividade noutras apps ou na Internet.

Ainda, a Apple vai deixar de enviar endereços de IP dos utilizadores para o Google e implementou novas barreiras de segurança contra ataques remotos.

A Siri, famosa assistente virtual da Apple, passa a ‘aprender’ qual é o seu player de música preferido e permite-lhe partilhar letras de músicas pelo iMessage ou pelo Instagram. Deixa também de ter a voz feminina a que habituou os fãs como padrão e torna-se mais diversificada.

Os podcasts estão também renovados, para permitir a possibilidade dos criadores cobrarem pelos programas que transmite.

Nos Mapas, passa a ser possível sinalizar e alertar para acidentes, assim como informar sobre congestionamentos de trânsito (à semelhança do que faz o Waze).

Finalmente, para os fãs de emojis (os famosos ícones das mensagens), há mais 217 para descobrir, como um coração flamejante ou um boneco a tossir, assim como ‘atualizações’ para emojis já existentes, por exemplo, mais opções de personalização dos emojis de casais, ou o emoji da seringa renovado para mostrar um líquido transparente (em vez de sangue, como anteriormente).

Ver comentários