Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
8

Afinal sempre houve sexo

Afinal houve mesmo sexo entre Alexandre Frota e Ana Afonso na ‘Quinta das Celebridades’. Quem o confirma é o próprio actor, no seu livro ‘O Dono do Jogo’ – a ser lançado amanhã, às 17h00, na Livraria Bertrand do Centro Comercial Vasco da Gama, em Lisboa.
21 de Janeiro de 2005 às 00:00
Frota assume ainda a existência de cassetes que comprovam esses momentos, que, apesar de noticiados pela Comunicação Social, tanto a TVI como a Endemol sempre desmentiram.
Num excerto do seu livro, compilado por Daniel Oliveira, o actor escreve: “Houve de facto sexo entre mim e a Ana Afonso (...). E não foi uma vez só, foram várias vezes”.
Uma verdade tornada agora pública, depois de ter desmentido em todas as entrevistas que deu até ao momento, inclusive no especial da TVI, ‘Alexandre, o Grande’, exibido no passado domingo. Por, segundo ele, manter com a actriz uma “relação saudável”, Frota vem agora confirmar o que já se sabia.
“Depois de já termos tido as relações sexuais, eu fui chamado ao escritório e a produção me informou da existência das fitas (...), mas que até à altura não tinham sido emitidas, estando (...) na secretária do Dr. Piet-Hein Bakker, director da Endemol Portugal (...)”.
Frota conta ainda que tanto ele como Ana Afonso desconheciam a existência de câmaras no estábulo, local onde fizeram sexo. “Na verdade, existiam três microcâmaras (...) todas elas disfarçadas com tinta preta”.
O actor acrescenta: “Já tive vários momentos íntimos com a Ana. Estive com ela várias vezes no estábulo, debaixo das árvores, construí várias cabanas nas carroças (...)”. E até a própria produção ajudou à festa construindo-lhe, no pasto o que Frota classificou de ‘ninho de amor’ e que mais tarde foi destruído.
Mais à frente, o actor adianta: “A dada altura da noite, no nosso aconchego, eu me surpreendo com ela e perguntei que loucura era aquela. Acho que ambos estamos loucos (...)”.
Apesar de sempre ter negado, à semelhança do actor, não ter feito sexo com Alexandre na Herdade da Baracha, agora Ana Afonso assume por completo as revelações escritas em ‘O Dono do Jogo’. Ao CM, confirmou: “Assumo que tive momentos de intimidade”. Ciente de que a verdade seria tornada pública, a actriz afirma que o facto “não tem importância nenhuma”. ”A única coisa que me vai chatear é como será o ‘feedback’ do público. Se as pessoas não aceitarem isto e falarem mal, vou ficar aborrecida. Mas tudo o que fiz foi por amor e por vontade própria”.
Quanto à existência das cassetes, Ana Afonso diz apenas: “Tive o cuidado de me resguardar da melhor maneira, tanto é que duvido que tenham alguma imagem menos própria para mostrar”.
O CM tentou chegar à fala com Piet-Hein Bakker, deixando inclusive uma mensagem no seu telemóvel, mas até ao fecho desta edição, o responsável da Endemol esteve sempre incontactável.
OS BILHETES DOS FAMOSOS
‘O Dono do Jogo’ dá a conhecer também os bilhetes trocados entre as celebridades, destacando-se os de Castelo Branco para Frota, onde se pode ler: “Os únicos perigos são: Pedro Reis e Mónica”. No seu ‘diário’, Frota diz que ouviu muitas pessoas falarem que “Zé recebia chamadas” e que “tinha telemóvel”.
O actor admite ainda ter sido “responsável pela eliminação do Pedro Ramos e Ramos, da Fátima Preto, da Cinha Jardim, da Paula Coelho e de mais algumas pessoas que se bateram, como o Pedro Reis (...)”.
"SENTI UM VAZIO"
Alexandre Frota regressou à Herdade da Baracha para uma curta visita e confessou ao CM ter sentido um vazio ao entrar na casa, agora completamente despida.
“Foi emocionante regressar à quinta onde estive durante tanto tempo. É um local que marcou a minha vida para sempre”, referiu, adiantando: “Voltar lá foi uma sensação muito estranha. Senti um vazio enorme, mas também fiquei feliz por poder rever tudo e recordar os bons e maus momentos”.
Frota aceitou o convite de Maria de Lurdes Oliveira (D. Milú), proprietária da Baracha, para uma visita e um almoço. Curiosamente a refeição foi “bem brasileira”. “Fiquei surpreendido porque esperava um prato tradicional português, mas não. Serviram picanha, arroz e feijão preto”, contou.
O actor adiantou que a visita já estava prevista:“Tinha prometido à D. Milú e ao sr. João voltar lá”. E confessou ainda que tem por João Preceito, capataz da herdade, uma grande amizade, até porque eram os dois quem tratava dos animais, embora às vezes tivessem ajuda das outras celebridades”.
Numa visita nostálgica, Frota percorreu todos os lugares, desde o estábulo ao alpendre, passando inclusive pela casa-de-banho.
“Estive também na pocilga onde ainda se encontra a porca Camila e os seus filhotes. Entrei na casa, que agora está completamente vazia, tiraram tudo. Sentei-me no chão do meu quarto onde recordei muito do que lá passei. Foi uma visita marcante, mas agradável. Deu para matar saudades”, referiu. Mas, nesta ida à Baracha houve também tempo para a diversão. “Participei numa tourada, o que foi engraçado”, recordou.
Na verdade o actor teve, pela primeira vez na sua vida, a oportunidade de, não só entrar numa tourada como também de tourear. Frota conseguiu aprender depressa a arte de lidar a pé, mas enfrentar um touro, mesmo de pequeno porte foi obra mesmo para o grande Alexandre.
Ver comentários