Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
3

António Costa acusa regulador de incompetência no 5G

Primeiro-ministro diz que Anacom criou o “pior modelo de leilão possível” com custos elevados para o País.
Sónia Dias 21 de Outubro de 2021 às 08:14
Leilão 5G em Portugal decorre há 197 dias
António Costa quebrou o silêncio sobre o leilão do 5G e não poupou críticas à Anacom
João Cadete de Matos é o presidente da Autoridade Nacional de Comunicações
Leilão 5G em Portugal decorre há 197 dias
António Costa quebrou o silêncio sobre o leilão do 5G e não poupou críticas à Anacom
João Cadete de Matos é o presidente da Autoridade Nacional de Comunicações
Leilão 5G em Portugal decorre há 197 dias
António Costa quebrou o silêncio sobre o leilão do 5G e não poupou críticas à Anacom
João Cadete de Matos é o presidente da Autoridade Nacional de Comunicações
O primeiro-ministro acusou esta quarta-feira a Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom) de incompetência na criação de um modelo de leilão para a quinta geração de comunicações móveis (5G) que fosse eficiente.

“Estamos todos de acordo que o modelo de leilão que a Anacom inventou é, obviamente, o pior modelo de leilão possível. Nunca mais termina e está a provocar um atraso imenso ao desenvolvimento do 5G em Portugal”, disse António Costa no final do debate preparatório sobre o Conselho Europeu, que decorreu na Assembleia da República, em resposta à questão levantada pelo deputado social-democrata Duarte Marques sobre o facto de Portugal e da Lituânia serem os únicos países da União Europeia que ainda não têm ofertas comerciais 5G.

“Quem construiu essa doutrina absolutamente extraordinária, a de que era preciso limitar os poderes dos governos para dar poderes às entidades reguladoras, deve refletir bem sobre este exemplo do leilão 5G para ver se é este o bom modelo de governação económica do futuro”, acrescentou o chefe do Governo, no dia em que as propostas das operadoras no âmbito do leilão, que dura há 197 dias, atingiram os 454 M €.

Horas mais tarde, a operadora NOS pediu a demissão “imediata” de João Cadete de Matos, presidente do regulador, que, na semana passada, em Ponte de Sor, garantiu que a quinta geração de comunicações móveis vai atingir em 2025 a “cobertura plena” em Portugal.

O CM tentou obter uma reação da Anacom às críticas de António Costa, sem sucesso.
Ver comentários