Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
9

Ellen DeGeneres coloca ponto final no seu programa sob chuva de acusações

Comediante tem vivido tempos conturbados após funcionários a acusarem de má conduta no trabalho.
Correio da Manhã 12 de Maio de 2021 às 17:41
 Ellen Degeneres
Ellen Degeneres
Ellen DeGeneres e Portia de Rossi
 Ellen Degeneres
Ellen Degeneres
Ellen DeGeneres e Portia de Rossi
 Ellen Degeneres
Ellen Degeneres
Ellen DeGeneres e Portia de Rossi

A apresentadora norte-americana Ellen DeGeneres anunciou o fim do seu programa diário The Ellen DeGeneres Show após 18 anos, e 19 temporadas no ar. A comediante - que vive meses de grande polémica - revela que o último programa deverá ir para o ar em 2022. 

Ellen já tinha revelado, há uns anos, que pretendia retirar-se, mas a notícia do fim do programa surge após meses de notícias negativas em que a comediante, outrora acarinhada pelo público, é acusada de promover um ambiente de trabalho tóxico em que se incluem acusações de racismo e conduta sexual inapropriada. 

DeGeneres afirma, no entanto, que o fim do programa marcado para 2022 deve-se ao seu desejo de encontrar alguma coisa que a desafie e não à polémica em que se viu envolvida, que nega veemente.  

"[Essas notícias] Quase impactaram o programa", assumiu ao Hollywood Reporter perante a controvérsia. "Foi muito doloroso para mim. A sério, muito. Mas se fosse para eu desistir do programa por causa disso, eu não regressaria nesta nova temporada", revela. 

De acordo com as notícias, a personalidade fácil de conviver e divertida de Ellen em frente às câmaras contrasta com a personalidade da celebridade nos bastidores. 

Popularidade da estrela em queda 
Os funcionários do seu programa acusaram-na de racismo, atitudes intimidatórias e garantiram viver num clima de medo. A estrela norte-americana, que só no Instagram tem 92 milhões de fãs, viu a sua popularidade cair a pique e nos EUA.

Face às denúncias – que levaram à abertura de uma investigação interna por parte da empresa detentora do ‘The Ellen Show’ – a estrela, de 62 anos, viu-se obrigada a fazer um comunicado em que pede desculpa aos trabalhadores.

"Ninguém deveria levantar a voz e toda a gente deveria ser tratada com respeito. Estou desiludida, e comprometo-me a assegurar que isso não volta a acontecer", escreveu então Ellen, acrescentando que, enquanto mulher que já foi vítima de preconceito, por ter assumido a homossexualidade, repudia atitudes discriminatórias.

"Como alguém que foi julgada e quase perdeu tudo por ser quem é, eu entendo verdadeiramente e sinto profunda compaixão por aqueles que são olhados de forma diferente ou tratados de forma injusta, desigual ou - pior ainda - negligenciados".

Há 30 anos na TV e com uma carreira de sucesso, Ellen é uma das apresentadoras mais bem pagas dos EUA, recebendo 72 milhões de euros por ano. No entanto, o formato que apresenta, e que já foi vencedor de seis Emmy, está em risco de chegar ao fim.

Ver comentários